MONUMENTOS PARA RESGATAR A HISTÓRIA DO CAMINHO DE CANOA PEQUENA

Na manhã de hoje o Professor J. Santiago e o jovem Railson Wallace presentearam nossa cidade com um projeto que visa resgatar a história da Terra da Açaí através da construção ou reconstrução de monumentos.

A apresentação do projeto MONUMENTOS HISTÓRICOS, COMO RESGATE DA HISTÓRIA DE IGARAPÉ-MIRI ocorreu na Câmara Municipal, na presença de vereadores e de um público pequeno de populares.

Nem isso intimidou o Professor Santiago, que subiu na Tribuna Popular e discursou sem qualquer titubeio sobre a História de Igarapé-Miri, suas glórias e seus triunfos, mas também descortinando os traumas e desencantos de um passado centenário.

Um povo que não respeita seu passado e não preserva suas memórias certamente não caminhará bem para o futuro.

O Professor Santiago é um dos maiores conhecedores e lutadores pela preservação da História de Igarapé-Miri. Tem se dedicado escrever e a divulgar os fatos da Terra do Açaí e a nossa cultura.

Hoje ele forma dupla com o jovem Railson e tenta chamar a atenção do Poder Público e da Sociedade Miriense para a necessidade de construir obras de arte que retratem nossa cidade desde sua fundação.

O GM agradece o envio do projeto MONUMENTOS HISTÓRICOS, COMO RESGATE DA HISTÓRIA DE IGARAPÉ-MIRI e o divulga a seus leitores:

APRESENTAÇÃO.

Este projeto tem como objetivo o resgate dos monumentos que existiam e a construção de outros que venham compor a cenário da cidade com o intuito de resgatar a história do Município de Igarapé-Miri. Igarapé-Miri é um dos municípios mais antigos da Província do Grão Pará e do atual Estado do Pará. Possui grandes nomes na história tanto da Província como do Estado e que hoje, continuam esquecidos sem que as novas gerações tenham conhecimento de que eles existiram, que fizeram parte da vida deste povo e foram muito importantes para que chegássemos até onde chegamos. Entre os nomes ilustres podemos, citar os mártires como: Tenente Pina, José Gonçalves Alves, José Chaves, Antonio de Lyra Lobato João de Lyra Lobato, José Antonio Pereira de Castro, os cabanos João Gouveia, Alexandre Carlos, Manoel Domingos, Manoel de Souza, Pe. Vitorio Prochópio do Espirito Santo, Pe. Pedro Honorato Corrêa de Miranda (Reitor do Colegio Paraense na época provincial), Pe. Alexandre Lobato, Coronel Garcia, Coronel Vitório, Ministro Lyra Castro (Pasta Fazenda e Agricultura no governo Washington Luis), o Barão e a Baronesa de Igarapé-Miri, entre muitos que agora pelo espaço não nos é possível elencar. Portanto, buscar através dos monumentos contar a história de Igarapé-Miri é sem dúvida uma alavancada na cultura do nosso povo sem esquecer que esses monumentos também embelezam a cidade e lhe darão vida. 

OBJETIVO GERAL: Fazer o resgate da historia do município de Igarapé-Miri com monumentos públicos e ao mesmo tempo, embelezar nossas Praças, Avenidas e Hortos.

 OBJETIVOS ESPECÍFICOS:         

  • Levar ao conhecimento das pessoas a nossa história;
  • Fazer através dos monumentos uma leitura da nossa cultura e dos nossos vultos históricos;
  • Deixar um legado para as próximas gerações para que tenham o conhecimento de suas origens.
  • Fazer o embelezamento da cidade, através das Praças, Avenidas e Hortos.

 JUSTIFICATIVA.

Igarapé-Miri é um dos municípios mais antigos da Província e do atual Estado do Pará, guarda uma história recheada de episódios históricos como a Cabanagem, abertura do Canal, a luta para a reconquista do município pela tropas legais portuguesas, entre muitos outros. Com uma cultura recheada de eventos que realmente despertam o interesse de quem os conhece, portanto, Igarapé-Miri  merece ser contado não somente em prosa e verso, mas também pela suas figuras, para que todos os seus filhos tenham orgulho de pertencer a esta terra.

Por esse motivo nós, João Maria Quaresma Júnior e Railson Wallace, tomas a iniciativa de apresentar o presente projeto, para que se faça o resgate da história e ao mesmo tempo o embelezamento das nossas praças, avenidas e hortos. A cidade não tem espaços mais apropriados para o lazer por não conter atrativos que faça o povo buscar visita-los, vendo a carência e o deserto que nossa cidade apresenta nesse sentido, é que tivemos a ideia de buscar uma forma de contemplar com monumentos históricos a esses lugares a ao mesmo tempo deixar ao ar livre uma aula de história não somente para nosso povo, mas também para as pessoas que nos visitam. Somete isso, já justifica o projeto, pois a vida de um povo é a sua história. Queremos lembrar que, um povo sem história é um povo sem identidade e sem respeito por si mesmo, o que leva ao desprezo pela sua gente e sua origem. 

 DESCRIÇÃO DO OBJETO.

O município de Igarapé-Miri é um dos mais antigos da Província e do atual Estado do Pará e, foi um dos mais influentes até a década de 60, mas infelizmente por algumas gestões não conseguiu se manter em alta junto as autoridades do Estado. Perdemos a partir da década de sessenta com a perda do DER hoje CETRAN para Abaetetuba e em seguida na década seguinte, a de setenta, a Receita Federal, IBGE, INSS, Receita da Fazenda Estadual, entre outras coisas e ainda fomos esquecidos pelas autoridades.

Entretanto, aqui se desenrrolaram vários eventos históricos que devem ser resgatados e que devem merecer a nossa atençao. Vários filhos ilustres estão esquecidos no tempo sem que nada aponte para seus feitos com isso, dando-nos a impressão de que só temos presente e não temos passado. As construções antigas que guardavam a memória arquitetônica portuguesa da época foram destruídas por gestões, que não se apercebiam da desgraça histórica que estavam cometendo.

Homens como: Pe. João de Sarges Barros, Pe. Pedro Honorato Correa de Miranda (Reitor do Colegio Paraense que era a Universidade da Província), Pe. Vitório Procópio do Espírito Santo, Pe. Alexandre Lobato, seu filho Dr. João Hipolito, Ministro Lyra Castro (Ministro da Fazenda e da Agricultura do governo Washington Luis), os Mártires do Município, João de Lyra Lobato, Antonio Joaquim de Lyra Lobato, José Antonio Pereira Leal, Tenente Pina, que morreram defendendo a Vila de Igarapé-Miri dos ataques cabanos, os cabanos João Gouveia, Alexandre Carlos, Manoel Domingos e Manoel de Souza, o Barão e a Baronesa de Igarapé-Miri, entre tantos nomes famosos que não constam como ícones da história, mas que muito trabalharam para que Igarapé-Miri continuasse e, em suas épocas, realmente fizeram desta terra uma terra respeitada.

Se andarmos em outras cidades, encontramos sempre um monumento que fala um pouco de sua história, nesse aspecto Igarapé-Miri é deserta, erma, vazia, não temos nada que comprove que temos um nome, uma identidade, um início, uma origem. Temos ainda de levar em conta que, esses monumentos embelezarão a cidade e darão mais opção aos nossos visitantes. Esta é a exposição de motivos, que nos levam a apresentar para nossas ínclitas autoridades este projeto, que em primeiro lugar, não tem conotação politico-partidária, mas sim, uma inciativa totalmente popular, para que tenhamos uma cidade mais digna do seu povo e de sua história, levando em consideração, a sua trajetória como um dos mais antigos municípios da Província e do Estado do Pará.

DESENHOS DOS MONUMENTOS A SEREM RECONSTRUÍDOS E DOS QUE PODEM VIR A SER CONSTRUÍDOS.

barões

MONUMENTOS.jpgn

praça

QUIOSQUE

cabanagem

praça da prefeitura

Anúncios