ESCOLA ENEDINA É DESTAQUE EM MATÉRIA PRODUZIDA PELA ONG REPÓRTER BRASIL

 

CONFIRA A MATÉRIA

Escolas do Pará realizam trabalho preventivo ao trabalho escravo em dezenas de municípios

Comemorações do Dia da Independência tiveram como tema o combate ao trabalho escravo. Alunos e professores mobilizaram comunidades e realizaram ações de prevenção ao problema em diversas regiões do estado

Na semana do dia 7 de setembro, escolas da rede pública estadual do Pará realizaram atividades de prevenção ao trabalho escravo em pelo menos 15 municípios de 8 regiões do estado vulneráveis à ocorrência dessa prática criminosa. Foram produzidos cartazes, desenhos, poemas, cordéis, vídeos, paródias e dramatizações. Os alunos também protagonizaram desfiles e passeatas, alertando as comunidades para o risco de outras violações como aliciamento, trabalho infantil e tráfico de pessoas.

 

Essa mobilização faz parte do projeto de formação continuada realizado pelo Escravo, nem pensar! para gestores e técnicos da Educação da rede estadual de ensino do Pará, que conta a parceria da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e o apoio do Ministério Público do Trabalho da 8ª região (MPT-PA). Desde novembro de 2016, profissionais da Educação das regiões de Abaetetuba, Castanhal, Conceição do Araguaia, Mãe do Rio, Marabá, Santa Izabel, Tucuruí e região metropolitana de Belém foram responsáveis por multiplicar o tema do trabalho escravo e assuntos correlatos para 607 educadores de 332 escolas, alcançando 54 municípios.

EE-Enedina-Sampaio-Melo-Igarapé-Mirim-URE-Abaetetuba.jpg

(Durante passeata no município de Igarapé-Miri, alunos da Escola Estadual Enedina Sampaio Melo destacam a relação entre migração para a ocupação da Amazônia e trabalho escravo).

EE-Maria-Sylvia-Bom-Jesus-do-Tocantins-URE-Marabá.jpg

(No município de Bom Jesus do Tocantins, alunos da Escola Estadual Maria Sylvia protagonizaram corrida esportiva com o tema do trabalho escravo).

A ampliação da rede de prevenção ao trabalho escravo no Pará é estratégica para o combate a esse crime. O estado é o campeão nacional em casos de resgates de trabalhadores encontrados nessa situação de exploração. Desde 1995, quando o Estado brasileiro assumiu ocorrência do trabalho escravo em território nacional, até 2016, mais de 13 mil trabalhadores foram libertados no estado, o que representa 25% do total de libertados no país.

FONTE: http://escravonempensar.org.br/novidades/ repórter brasil

Anúncios

PREFEITO DO MOJU É CASSADO, MAS FICA NO CARGO ATÉ JULGAMENTO NO TRE

IEIÉ

Hoje a região do Baixo Tocantins foi surpreendida com a decisão da Justiça Eleitoral que cassou o mandato do Prefeito Ieié e de seu vice por condutas vedadas, abuso de poder econômico e político nas eleições de 2016.

O juiz Waltencir Gonçalves ainda determinou a inelegibilidade do prefeito pelos atos ilícitos que teria cometido e aplicou multas:

CASSACAO MOJU 01

CASSACAO MOJU 02

A disputa política no Moju é liderada por dois grupos políticos fortes. De um lado o grupo do PMDB liderado pelo deputado Iran Lima (que já foi prefeito por 8 anos) e de outro o grupo do PSDB que já foi liderado por Parola (também com 8 anos de prefeito) e hoje é comandada por Ieié, reeleito em 2016.

As acusações da Coligação de Iran Lima sustentaram que os seguintes fatos:

Em primeiro lugar, destacou que já em fevereiro/2016, o 1º requerido “usando do cargo de Prefeito e dos respectivos recursos públicos” publicou o Informativo Prefeitura em Ação, com tiragem de cerca de 2.000 exemplares, veiculando “material de propaganda que ultrapassa os limites das informações de interesse público para, se transformar em verdadeiro veículo de massificação da informação da pré-candidatura…”, conforme matérias e registros fotográficos nele encartados. Nova publicação, nos mesmos moldes, nominada Informa Moju foi veiculada “em período absolutamente crítico – 10.07.2016”, afrontando as disposições da Lei 9.504/97 e a LC 64/1990. Asseverou que não houve publicação semelhante nos anos anteriores e que não havia no Orçamento Anual de 2016 nenhuma rubrica destinada a propaganda institucional. Ademais, o patente desvio de finalidade da propaganda, desviante do dever de informar para se transformar em veículo de “promoção pessoal exagerada que se transmuda em propaganda eleitoral disfarçada” é ofensivo ao art. 37, caput e §1º, da Constituição Federal, e, portanto, do art. 73, II, da Lei das Eleições.

Na sequência, agregou que a campanha dos Requeridos utilizou, no período crítico e vedado (02.07 a 30.10.2016) “sítios eletrônicos da administração pública, como no site da ASCOM – Assessoria de Comunicação do Município de Moju”, para também “veicular propaganda de obras públicas atreladas a administração do candidato Prefeito em reeleição…em detrimento aos demais candidatos que não possuem a máquina como instrumento da campanha eleitoral”, conforme histórico que enuncia, consubstanciando propaganda desvirtuada em bem público, malferindo o disposto no art. 74 da Lei das Eleições.

Finalmente, reportou que “apenas no período de conduta vedada que teve início em 01.01.2016 o Prefeito 1º R. fez contratação de cerca de três mil servidores, nas quais a intenção é unicamente em auferir benefício eleitoral”. Disse excessivas tais contratações temporárias, superando mesmo o quantitativo de cerca de 1.800 servidores efetivos do Município. Do total de contratações temporárias, cerca de 300 teriam sido efetivadas entre abril e junho de 2016, contemplando “apaniguados eleitorais, como lideranças, cabos eleitorais e um exército de simpatizantes para trabalharem política e eleitoralmente em favor dos RR.” Afirmou a ocorrência de cerca de 200 contratações datadas de 01.07.2016, data em que a Prefeitura não funcionou em razão de ter sido declarado ponto facultativo todas as sextas feiras do mês de julho/2016, consignando-se tal data para fraudar a lei e dar ares de legalidade aos contratos. As contratações irregulares estenderam-se até 29.09.2016, véspera das eleições, revelando tratar-se de “operação eleitoral…e, que a contratação foi usada como moeda de troca de voto, contratações que atendem aos interesses eleitorais de cooptação dos votos dos contratados e suas famílias”, substanciando atos de abuso do poder político e de autoridade.

O Juiz ouviu testemunhas e coletou provas. E com isso entendeu que eram graves o suficiente para a condenação.

Este caso é bem parecido com aquele que resultou na condenação de Toninho Peso Pesado nas eleições suplementares de 2015, mas que o TRE entendeu por reformar pelo placar de 4 a 2, mantendo apenas as multas.

E também se assemelha em parte a algumas acusações contra Zenaldo Coutinho quando foi candidato à prefeitura de Belém em 2016. Especialmente pela contratação de temporários e propaganda institucional em redes sociais.

O Prefeito Ieié e seu vice continuarão no cargo até que seus recursos sejam julgados pelo Tribunal Regional Eleitoral, o que pode demorar pelo menos 6 meses. O mais provável é que fique para o próximo ano essa definição.

O caso de Zenaldo já está por lá desde 2016 e ainda não foi julgado, daí se esperar certa demora nos demais casos de cassação de prefeitos em relação ao pleito de 2016.

As ações eleitorais contra Toninho Peso Pesado referentes às eleições de 2016 ainda estão em fase de instrução, ou seja, ainda vão ser ouvidas as testemunhas e não tem previsão de sentença.

E assim o mundo gira…

SELEÇÃO MIRIENSE SUB-18 ADIA SONHO DO INTERMUNICIPAL

sub 18 ano 2017 03

Ainda não foi dessa vez que a seleção Miriense de futebol chegou a um título estadual.

Mas nossos atletas estão de parabéns pela luta e empenho neste campeonato de 2017. A superação de tantas dificuldades levou nossos garotos até a semifinal, deixando para trás seleções de bom nível e com patrocínio.

O jogo de ontem ficou no placar de 3 a 1 para a seleção de Acará, que avançou para a final, depois de vencer a primeira partida em Igarapé-Miri por 2 a 1.

sub 18 ano 2017.jpg

Certamente que se esse trabalho for mantido e com maior apoio nossa seleção chegará ao título que tanto almeja no futebol paraense.

Toda a equipe técnica e atletas estão de Parabéns. Não percam a motivação pois estão no caminho certo. Que venha 2018.

sub 18 ano 2017 02

IBGE: POPULAÇÃO MIRIENSE CHEGA A 60.994 HABITANTES

Esta semana o IBGE divulgou informações sobre a estimativa populacional dos municípios brasileiros. Esses dados apontam que Igarapé-Miri tem hoje 60.994 habitantes e está entre os 30 maiores municípios do Estado do Pará (29 colocação).

O próximo censo populacional só vai ocorrer em 2020, mas essa estimativa do IBGE é relevante e é feita com base em estudos técnicos, que certamente merecem credibilidade e estão muito próximos da realidade. Tanto que influencia no repasse de recursos federais via FPM, onde pelo menos 6 municípios vão ter aumento: Ipixuna do Pará, Medicilândia, Santo Antônio do Tauá, São João do Araguaia, Tailândia e Tomé-Açu.

É verdade que muitos eleitores Mirienses não moram de fato na Terra do Açaí na maior parte do ano, mas certamente não largam suas raízes e familiares.

De outro lado, a migração de área rural para a sede do município deve ter diminuído nos últimos anos diante da força do açaí nas áreas ribeirinhas.

Mas os problemas na área de saúde ainda são um grande drama, seja para os ribeirinhos ou para os que moram na sede do município.

Mas o Miriense é forte e não desiste de lutar. Vamos que vamos…

Veja a tabela com a estimativa do IBGE nos municípios do Pará ano 2017:

IBGE PA 2017

IBGE PA 2017 02

IBGE PA 2017 03

Vejam a matéria da Famep sobre a estimativa populacional no Pará:

Pará tem mais de 8 milhões de habitantes em 2017, estima IBGE

O Pará atingiu a marca dos 8 milhões de habitantes em 2017. Mais precisamente 8.366.628 pessoas. O dado vem das estimativas populacionais divulgadas no último dia 30 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e a data de referência usada é 1º de julho de 2017. O Estado segue como 9º mais populoso do Brasil e primeiro do norte.

O estudo apontou ainda uma tendência de aceleração de crescimento demográfico com percentual de 1,14% a mais de habitantes comparado a 2016. Segundo o IBGE, Belém é o município mais populoso do estado, com 1.452.275 habitantes. Na estimativa nacional, a capital aparece em 12° lugar entre as 17 com mais habitantes no país. Já a cidade com menor número de habitantes do estado é Bannach, na região sul do estado. São 4.612 pessoas, segundo a estimativa.

Dos 144 municípios do Pará, cerca de 126 apresentaram, em um ano, algum tipo de aumento populacional, com destaque para São Félix do Xingu (3,50%), Canaã dos Carajás (3,37%), Ulianópolis (3,20%), Anapu (3,14%) e Parauapebas (3,11%).

Na estimativa nacional foi registrada uma queda de população em 25% dos municípios brasileiros. No Pará, apenas 19 reduziram o número de habitantes. As cinco cidades que apresentaram a maior redução da população entre 2016 e 2017 foram Jacareacanga (-8,96%), Faro (-2,22%), Senador José Porfírio (-1,98%), Pau D’Arco (-1,75%) e Bannach (-1,02%).

O IBGE não chegou aos números divulgados ontem contando de casa em casa a população brasileira. Isso só deve ocorrer em 2020, quando é esperada a realização do Censo Demográfico. O método baseia-se na projeção da população estadual e na tendência de crescimento dos municípios, delineada pelas populações municipais captadas nos dois últimos Censos Demográficos (2000 e 2010).

Preocupação – “As estimativas do IBGE são sempre avaliadas com cuidado pelos municípios, porque nem sempre elas refletem a realidade. E elas são muito importantes para que a gestão consiga fazer o planejamento das ações mais próximo do que realmente é a necessidade do município”, explicou o presidente da Federação das Associações dos Municípios do Estado do Pará (FAMEP), Xarão Leão.

“É importante que os gestores que avaliarem que os dados estão longe da realidade local saibam que podem e devem contestar o IBGE, já que eles interferem em toda a lógica da gestão”, destacou o presidente. O prazo para contestação vai até o dia 18 de setembro e o pedido de reavaliação com comprovação dos registros populacionais deve ser encaminhado ao escritório estadual do IBGE.

Arrecadação – As estimativas populacionais municipais são um dos parâmetros utilizados pelo Tribunal de Contas da União no cálculo do Fundo de Participação de Estados e Municípios, referência para vários indicadores sociais, econômicos e demográficos. No Pará, segundo um estudo realizado pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM), Jacareacanga/PA é o município que provavelmente terá redução de coeficiente, saindo de 1.80 para 0.60.

Isso porque o município teve uma expressiva redução populacional em – 8,96%. A gestão municipal precisará se preparar para o próximo ano com o possível impacto que essa redução poderá ter na receita do município. Em contraste com Jacareacanga, seis outros municípios que tiveram aumento populacional também poderão sofrer alteração de coeficiente.

Porém, dessa vez, a probabilidade é que eles tenham um aumento de recurso por meio do FPM. São eles: Ipixuna do Pará, Medicilândia, Santo Antônio do Tauá, São João do Araguaia, Tailândia e Tomé-Açu. 

ESCOLA MARANATA DIVULGA NOTA SOBRE A MERENDA VENCIDA

merenda-escolar1

O GM recebeu nota de esclarecimento da Escola Maranata, onde se destaca que o produto realmente foi encontrado vencido, mas que a merenda nessas condições não foi servida aos alunos.

E tomara que fatos dessa natureza sejam comunicados para as devidas providências do fornecedor e das autoridades conforme a gravidade.

Vejam o teor:

Nota de esclarecimento
A Escola Maranata vem se pronunciar quanto às informações divulgadas em redes sociais, sobre a escola está servindo merenda escolar vencida. Em virtude destas informações gostaríamos de fazer os seguintes esclarecimentos.
Em nenhum momento a escola serviu merenda escolar vencida aos alunos. Foi encontrada sim, apenas uma polpa de fruta vencida no meio das demais que não estavam vencidas, e a mesma foi separada pelas merendeiras e informado a diretora da Escola, para que fosse mostrado ao fornecedor. Foi exatamente essa embalagem de merenda que um membro do Conselho de Alimentação Escolar encontrou na pia da escola.
Jamais teríamos uma postura duvidosa e inverídica sobre este caso, pois temos responsabilidade e primamos pela qualidade do que recebemos para os nossos alunos. Sempre que for preciso defenderemos o bem estar dos nossos alunos e buscaremos a qualidade em todos os aspectos dos serviços que oferecemos.
A direção

ALIANÇA PESADO E ANTONIEL ACABOU ?

pesado e antoniel

A rádio fofoca está a todo vapor na política Miriense.

Fontes informam que o vice Antoniel Miranda cansou de esperar pelo Prefeito Toninho Pesado.

E o anúncio do rompimento estaria prestes a acontecer. Será ?

Se o povo aumenta mas não inventa, dizem que seriam vários os motivos:

1 – Pesado não teria pago as despesas de campanha que Antoniel ajudou a quitar;

2- Pesado tomou a Secretaria de Saúde de Antoniel e passou ao cunhado:

3- Pesado teria prometido outra secretaria ou cargo importante, mas não teria cumprido a promessa ao vice;

4 – Quando Pesado viaja não passaria o cargo ao vice;

5 – Existiria uma ciumeira do grupo de confiança de Pesado que acharia que o vice poderia ser o candidato na próxima eleição contra o próprio prefeito.

Tudo isso está na base da fofoca…

Mas vamos esperar as próximas rodadas.

Nos últimos mandatos os vices não tem se entendido com os prefeitos na Terra do Açaí.

Só pra lembrar dos últimos. A aliança entre Dilza e Carmém Pantoja começou em “beijos” e terminou em “tapas”…pode até ser trocadilho..

Edir e Pé de Boto romperam logo depois da posse. Foi a aliança mais rápida e a mais conturbada.

Apenas Francisco permaneceu com Pina, mas em troca levou a Secretaria de Saúde e de Assistência Social, fora outros penduricalhos.

Antes desses mandatos a briga foi intensa, tanto que Mário mudou de vice no segundo mandato, mas terminou rompido com Joca Pantoja.

Mas se até na presidência tá difícil aliança com vice, imagine nas prefeituras…

OPI-002.eps

ANTES FALTAVA MERENDA. AGORA CHEGOU VENCIDA. DÁ-LHE PESADO !

merenda escolar vencida charge

O Conselho de Alimentação Escolar resolveu fiscalizar se de fato chegou merenda escolar nas escolas.

Meses atrás o próprio Promotor de Justiça constatou que nas escolas não tinha merenda ou quando chegava era k-suco com bolachas.

https://gazetamiriense.wordpress.com/2017/06/13/pesado-e-carlao-tem-24-hs-para-colocar-merenda-nas-escolas/

Bom, parece que piorou…

Agora as próprias crianças e funcionários denunciaram ao Conselho (CAE) que a merenda que chegou em algumas escolas está VENCIDA. Fora do prazo de validade. A foto abaixo foi enviada ao GM, mas o funcionário da escola não quer se identificar:

merenda escolar vencida

Oh Pesado, tenha pena dessas crianças !

Quem está fornecendo essa merenda ? Mistério …

Será que são os mesmos que já foram denunciados na Justiça durante a gestão interina de Pesado ?

Cabe ao Conselho da Merenda Escolar fazer o seu trabalho. E parabéns para a Vigilância Sanitária se está cumprindo seu papel.

Resta agora ao Ministério Público e à Polícia também fazer a sua parte, se comprovado o crime ou ato de improbidade.

O fato também é destaque no Blog Poemeiro do Miri:

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

EM IG.-MIRI, SEMED ESTARIA SERVINDO “MERENDA ESCOLAR” VENCIDA A ALUNOS(AS)

prof. Israel Araújo (editor; poemeiro@hotmail.com)
CAE visita Escola Maranata - 25 ag 2017 - p2

(FOTO 01 – Alimentação Escolar, polpa de frutas, com data de vencimento de 10 de agosto de 2017; servida aos alunos(as), segundo investigação do CAE.

Foto: Prof. José Moraes Quaresma, Pres. CAE)

No dia de hoje, 25 de agosto, uma equipe da Vigilância Sanitária da Secretaria de Saúde de Igarapé-Miri foi acionada pelo CAE (Conselho de Alimentação Escolar) de Igarapé-Miri, o qual recebeu denúncia que dava conta da distribuição de “merenda” escolar (alimentos) vencida aos alunos(as) das escolas da rede.

Em seguida, o presidente do CAE, Prof. José Moraes Quaresma (José Júnior) e o Conselheiro Fernando Augusto Titan acionaram a Vigilância Sanitária para fazer vistoria na própria escola (Escola Maranata). Ao chegar ao local, foi constatado que um dos alimentos vencidos foi servido no dia 24/08 (ontem, cf. foto 01). O fato é grave, se não gravíssimo e, segundo fontes, será ainda mais apurado em outras unidades escolares, com a produção de relatório.

Confira na própria divulgação do Presidente do CAE, a seguir:

“O Conselho de Alimentação Escolar, recebeu denúncia de que na escola Maranata havia um produto (Polpa de Fruta) vencido. Imediatamente foi comunicada a Vigilância Sanitária que compareceu ao local e confirmou, além disso, foi feita uma inspeção que gerará um relatório”.

(José Moraes Quaresma, Presidente CAE, via WhatsApp)
CAE visita Escola Maranata - 25 ag 2017 - p1

(FOTO 01 – Conselheiros de Alimentação Escolar (CAE): Sr. Fernando Titan, Sr. Luci Walter de Moraes Franco (VISA), Sr. José Mendes Pantoja Jr. (VISA) e José Moraes Quaresma (Pres. CAE), em vistoria na Escola “Maranata”. Foto: Prof. José Moraes Quaresma, Pres. CAE)

É preciso registrar que a população (pais/responsáveis, alunado, agentes políticos) pode e deve investigar, registrar; que os Conselhos Escolares têm papel importantíssimo nessa fiscalização. Em todo o caso, o Ministério Público é bem ali. E o Sr. Promotor, Daniel Menezes de Barros, é muito atuante.

Nossos Parabéns aos Membros do Conselho de Alimentação Escolar.