AS “CORTESIAS” DO VEREADOR NO SHOW DO PABLO: ESTOU INDO EMBORA

Muita polêmica nas redes sociais nesta semana.

Tudo por conta da divulgação de áudios de um empresário que acusou o vereador Valdir Jr de pedir muitas cortesias para o show do PABLO ocorrido no Centro Cultural. E diz que foi ameaçado em caso de recusa, onde seria acionado o Conselho Tutelar para acabar com a festa.

Não se sabe se os conselheiros tem algo a ver com isso. Mas foram citados no tal áudio.

Esses dois áudios rolam soltos nos zaps da vida.

E o Vereador Valdir Jr publicou nota divulgado sua versão para os fatos:

NOTA VALDIR JR CASO PABLO

O caso revelou que era comum vereadores e “autoridades” ficarem com as tais “cortesias de entrada em festas do Centro Cultural”. E dizem que isso era normal, não se sabe se legal.

São 15 vereadores, se cada um pedir 90 ou 50 cortesias é melhor fazer a festa lá na Câmara Municipal.

Essas festas particulares sempre deram dor de cabeça aos vizinhos, que denunciaram ao MP o barulho excessivo. Tanto que foi recomendado o fim dessas festas.

MP RECOMENDA FIM DE FESTA

Segundo o empresário, ele iria parar de fazer festas em Igarapé-Miri, por não aguentar mais tanta “extorsão”.

E como diria Pablo: “Já estou indo embora, a mala já está lá fora…vou te deixar”

MP ENTRA COM AÇÃO CONTRA PESADO E CARLÃO POR DESCASO NO TRANSPORTE ESCOLAR

ACP TRANSPORTE ESCOLAR MIRI

A primeira Ação Civil Pública contra a gestão Pesado foi protocolada nesta semana.

Segundo a Promotoria de Justiça, o (des) governo PESADO tem descaso com o transporte escolar e coloca em risco as vidas dos alunos.

O GM já divulgou denúncias de falta de transporte escolar e de pagamento dos barqueiros. Agora também se noticia que o esse transporte é feito sem condições mínimas de seguranças.

A Promotor de Justiça teria pedido informações da SEMED e nada. Aliás, não responder a pedidos do SINTEPP e dos vereadores virou regra da atual gestão. Fazem pouco caso até da Justiça, quanto mais dos outros.

O caso é de polícia, tanto que duas embarcações foram apreendidas.

E dizem que “estão cuidando de ti”….imaginem….

Vejam a notícia sobre o caso:

ACP TRANSPORTE ESCOLAR MIRI 02

MPPA AJUIZA AÇÃO PARA REGULARIZAÇÃO DO TRANSPORTE FLUVIAL

A precariedade do transporte fluvial escolar da cidade de Igarapé-Miri levou o Ministério Público do Estado a ajuizar, nesta 5ª feira (22), uma Ação Civil Pública contra o município a fim de que o mesmo regularize os meios de locomoção utilizados por crianças e adolescentes da zona rural. 

A ação é do promotor de justiça Daniel Menezes Barros, que no último dia 13 de junho vistoriou as embarcações e constatou a péssima qualidade do transporte utilizado pelos estudantes da rede municipal de ensino que vivem em áreas ribeirinhas. As embarcações fiscalizadas não estavam de acordo com as normativas legais e não preenchiam requisitos básicos de segurança, colocando em risco os usuários desse tipo de transporte. As embarcações fiscalizadas não tinham coletes salva-vidas, extintores de incêndio e pilotos habilitados. Por conta das irregularidades, os barqueiros foram autuados na delegacia local pela prática do crime. Duas embarcações foram apreendidas.

O promotor também entrou em contato com o secretário de educação do município para relatar os problemas e pedir providências. Daniel Barros solicitou ainda à Capitania dos Portos uma vistoria às embarcações de Igarapé-Miri, sobretudo as que realizam transporte escolar.

O Ministério Público também recomendou aos empresários que, no prazo de 24h, o serviço de transporte fosse regularizado e solicitou ao prefeito municipal e ao secretário de educação a relação das embarcações regularizadas que realizam transporte escolar no município, ou seja, com os devidos comprovantes de habilitação dos condutores e equipamentos de segurança obrigatórios. Porém, nenhum documento comprobatório foi encaminhado para a promotoria de Justiça.

Na ação civil pública, o Ministério Público determina ao prefeito municipal e ao secretário de educação que forneçam, de imediato, transporte fluvial adequado e que cumpram todos os requisitos de segurança exigidos na legislação pertinente, fixando-se multa diária e pessoal para cada réu no valor de cinco mil reais em caso de descumprimento da ordem judicial. De acordo com o promotor “existe verdadeiro descaso por parte da administração pública com a vida e a integridade das crianças e adolescentes, que estão tendo suas vidas expostas a risco diariamente”, destacou Daniel Barros na ação.

Texto: Ana Paula Lins (graduanda de Jornalismo)Revisão: Mônica Maia  

SINTEPP QUER PCCR PARA GRUPO DE APOIO DA EDUCAÇÃO MIRIENSE

oficio pccr apoio

O Sindicato dos Professores em Educação Pública em Igarapé-Miri vem travando intensa luta para contemplar os funcionários do GRUPO DE APOIO DA SEMED com um Plano de Cargos e Salários.

Os professores tem seu PCCR, os da Saúde também foram contemplados durante a gestão Roberto Pina.

E nos últimos anos a luta do Sintepp ganhou certa aceitação para o debate público, mas depois parou no Palacete Senador Garcia.

Agora pedem que o Governo Pesado dê encaminhamento para que se torne um Projeto de Lei Municipal.

Vejam o inteiro teor do ofício feito pelo Sintepp:

Ofício nº 040/2017               

Igarapé-Miri (PA), 20 de maio de 2017

Da: Coordenação da Subsede

Ao: Prefeito de Igarapé-Miri (PA)

Exm. Sr. Ronélio Antonio Rodrigues Quaresma

Palacete Senador Garcia, 252, Centro, Igarapé-Miri, Pará

ASSUNTO: Encaminhamento (FAZ) – Minuta de Plano de Carreira para os Trabalhadores/as do Quadro de Apoio da rede de ensino de Igarapé-Miri (em construção)

SENHOR PREFEITO,

Ao cumprimentar V. Excia, sirvo-me do presente para, com extrema satisfação, encaminhar à apreciação de Vossa Assessoria Jurídica e submeter a vosso juízo, uma Minuta de Plano de Cargos, Carreira e Remuneração para os Profissionais do Grupo de Apoio (não-docentes), também conhecido como PCCR DE APOIO, o qual resulta de esforços históricos deste Sindicato, inclusive resulta de pauta da Greve Nacional da Educação de 2011, de construção entre Sintepp e representantes de governos anteriores, com especial atenção para as mobilizações de 2015 e 2016 (inclusive Paralisação em nov. 2015), discussão entre Vereadores(as), Coordenação local do Sintepp e Membros do governo Roberto Pina Oliveira (2015, 2016). Decorre de esforços concentrados e estudos técnicos, com produção escrita entre dez. 2015 e abril 2016. Foi protocolada pelo então Secretário de Educação Janilson Oliveira Fonseca, em abril de 2016, junto ao Gabinete do Exm. Sr. Prefeito de Igarapé-Miri, em formato de PCCR Unificado.

Ocorre que, decorridos mais de 13 meses e sem a Minuta de 2016 ter sido encaminhada ao Poder Legislativo para instituir um Plano de Carreira Unificado (Magistério e Apoio), e analisando as dificuldades financeiras pelas quais passa o Município de Igarapé-Miri, em especial quanto aos repasses do FUNDEB à Secretaria de Educação desta terra, optamos por, neste momento, oferecer um proposta que cria um Plano de Carreira para o Grupo de Apoio da Educação (não-docentes), acima de tudo porque este Sindicato reconhece, há décadas, que os “educadores” não são somente os Professores/as; temos certo que, no conjunto do processo educativo, TODOS E TODAS que atuam nas unidades escolares e noutros espaços são, de fato, Educadores/as. O ato de educar, em termos de escolaridade oficial, já o sabemos, não se resume ao trabalho dos Professores(as), muito nobre trabalho.

Portanto, Excelência, os Agentes de Portaria e Ag. Administrativos, também são educadores (as); os Assistentes Administrativos, Auxiliares de Serviços Gerais, os Vigilantes, os Zeladores(as) e todos os demais trabalhadores não-docentes são, indiscutivelmente, educadores(as). É também por isso que municípios como Abaetetuba têm em seus Quadros de Pessoal da rede de ensino os Auxiliares de Serviços Educacionais (em lugar de Auxiliares de Serviços Gerais) e têm os Motoristas do Transporte Escolar e Assistentes Administrativos Educacionais, entre outros. Os atuais cargos seriam, logo, transformados em outros, e outros mais poderiam ser criados.

Este nosso pleito, que é pleito de toda uma Categoria, se justifica pela urgente necessidade de se combater a discriminação, praticada historicamente, contra os profissionais da Educação não-docentes; e contra essa discriminação vem lutando este Sintepp há décadas. Conquistamos um PCCS (Plano de Cargos e Salários), em 2006, e um PCCR (Plano de Cargos, Carreira e Remuneração), em 2010, mas sempre somente para o Grupo Magistério (Gestores, Coordenadores Pedagógicos e Professores/as); os profissionais de Apoio (não-docentes) sempre estiveram excluídos da possibilidade legal de ter uma Carreira, de melhorar nos aspectos de Formação/Aprimoramento, combinado com a elevação gradual na Remuneração. A isso, Excelência, chamamos de gravíssimo erro histórico e este Sindicato não vê nem sombra de ferimento à legislação, caso Igarapé-Miri venha a ter, aprovado, sancionado e em vigor, um Plano de Carreira para o nosso Quadro de Apoio.

Entendemos que a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDBEN) de nº  9.394/1996, de 20/12/1996, em seu Art. 3º, VII (“valorização do profissional da educação escolar”), já consagra esse direito. De outra parte, reconhecemos, sem nenhuma possibilidade de erro de interpretação, que a nossa recente legislação municipal, ao tratar das Metas para a educação pública em Igarapé-Miri, na década 2015-2014, no Plano Municipal de Educação de Igarapé-Miri (Lei 5.098/2015, de 19/06/2015), consagra esse direito aos profissionais da educação não-docentes, conforme sege:

META 15 – Valorizar os (as) profissionais do magistério da rede pública municipal da educação básica de forma a equiparar seu rendimento médio ao dos (as) demais profissionais com escolaridade equivalente, e assegurar o Plano de Carreira para os profissionais da Educação básica, tomando como referência o piso salarial nacional profissional, definido em lei federal, nos termos do inciso VIII do art. 206 da Constituição Federal até o final do 5º (quinto) ano de vigência deste PME (Metas e Diretrizes do PME-Igarapé-Miri, 2015-2024, grifado).

É sabido de V. Excelência que os “profissionais da Educação Básica” são todos os servidores e não somente os do Magistério.

Por fim, Excelência, é sabido que os profissionais do Magistério Municipal têm um Plano de Carreira, que os profissionais da Saúde também o têm e que há várias movimentações de Categorias distintas destas que almejam, com razão e amparadas na justiça, a criação de Plano de Carreira. Nesse sentido, temos a possibilidade de legar a todos esses profissionais os respectivos planos de carreira, mas respeitadas as especificidades e atentando-se para as prerrogativas de cada Categoria, suas áreas de atuação, a especificidade da Progressão, da elevação de escolaridade (acredita-se, distinta para cada caso), a possibilidade de implantação de programas de formação e outras. Não é possível, Excelência, que concebamos a atuação de Servidores/as de Apoio como se fossem uma categoria só, assim como sabemos (por exemplo) das especificidades historicamente construídas entre a categoria de Professores(as) da Educação Básica (Educação Infantil, Anos e Séries Iniciais/Finais, Educação do Campo, Educação Especial, de Jovens e Adultos…) e a de Professores da Educação Superior.

Esperamos contar com a manifestação de V. Excelência, dentre outros motivos, ALÉM DO FATO QUE QUE APRESENTAMOS UMA PROPOSTA EM CONSTRUÇÃO, nos colocamos à disposição para a realização de reuniões com sua equipe técnica, caso haja essa DISPOSIÇÃO DE ENCAMINHAR, EM BREVE, um Projeto de Lei de criação deste PCCR à Câmara Municipal de Igarapé-Miri. Não havendo essa disposição de mais brevemente reparar essa discriminação e esse erro histórico, então nosso proposição é pelo PCCR Unificado, conforme apontado acima.

É o que se apresenta para o momento.

Atenciosamente,

Prof. M.Sc. Israel Fonseca Araújo

Coord.-Geral ½ Subsede de Igarapé-Miri

RG 2970596 (PC-PA)

 

 

JUSTIÇA MANTÉM PRISÃO DE “GOIANO” E DELEGADO DE TUCURUÍ MANDA INFORMAÇÕES AO GM

veiculo recuperado.jpg

A Justiça manteve o flagrante e a prisão preventiva de “Goiano”, como é chamado José Carlos Pereira Gomes, preso na Operação comandada pelo Delegado Alexandre Clós na semana passada envolvendo roubo e receptação de caminhão e pá carregadeira.

E foi arbitrada fiança aos demais investigados. Vejam a parte final da decisão que destaca que Goiano já responde por outros crimes em Brasília:

SOLTURA E PRISAO CASO ROUBO CAMINHAO

SOLTURA E PRISAO CASO ROUBAO DE CAMINHAO

De outro lado, o GM recebeu pedido email do Delegado Washington Santos de Oliveira, nos seguintes termos

“Por gentileza, gostaria que a matéria abaixo fosse retificada (corrigida), haja vista que eu não instaurei esse inquerito em conjunto com o Delegado Alexandre Clos e nem fui presidente conjunto da operação. Apenas me fiz presente mas para conceder informações necessárias à localização dos veículos. Da mesma forma, não houve a participação de policiais de Tucuruí, mas apenas de Igarapé-Miri. Desde já, agradeço e aguardo retorno. Obrigado! 
Cordialmente, 
Washington Santos de Oliveira. 
Delegado de Polícia Civil.”
E o GM agrade também as informações do Delegado Oliveira neste caso, que ainda aguardará definição do Ministério Público e da Justiça em Igarapé-Miri.

POLÍCIA RECUPERA VEÍCULOS ROUBADOS E OAB PUBLICA NOTA DE SOLIDARIEDADE A ADVOGADO MIRIENSE

CAMINHAO E CATERPILAR APREENDIDOS MIRI 02

Ontem a Polícia Civil fez a apreensão de um caminhão, um reboque e uma pá carregadeira modelo caterpillar em Igarapé-Miri. Esses veículos eram fruto de roubo ocorrido no Município de Bom Jesus do Tocantins no dia 30 de Maio.

A PRISÃO E APREENSÃO DOS VEÍCULOS

Segundo consta em Inquérito instaurado pelo Delegado Clós de Igarapé-Miri e Washington Santos Oliveira de Tucuruí, os assaltantes renderam o motorista que conduzia tais veículos na estrada que liga Marabá a Bom Jesus do Tocantis. E fugiram rumo a Tailândia e de lá chegaram até Igarapé-Miri, mas precisamente na Vila do Icatu, onde funcionaria uma extração clandestina de seixo que pertenceria a Ricardo Ribeiro.

A máquina quando passou a ser utilizada acionou um sensor que foi essencial para sua localização via satélite, possibilitando que a empresa TRANSLOC (proprietária dos bens) avisasse a polícia.

A diligência foi feita até o local e RICARDO logo explicou que havia alugado a máquina por 15 mil reais de JOSÉ CARLOS PEREIRA GOMES, que por sua vez estava ao lado e alegou ter adquirido o bem de um terceiro e que este teria arrematado a pá carregadeira em um leilão de uma prefeitura de Alagoas.

Todos foram conduzidos para a delegacia, sendo que no caminho encontraram RODRIGO LIMA que seria cunhado de RICARDO e teria guardado o Caminhão que também era objeto do mesmo roubo, a pedido de José Carlos. E polícia descobriu que no local funcionava uma desmanche de veículos sem autorização, mas havia também diversos documentos dos veículos.

A polícia apreendeu além dos veículos roubados outros bens e valores encontrados com José Carlos:

apreensao de bens

A polícia enquadrou todos os envolvidos pela receptação dos bens e outros delitos, sendo que hoje a Justiça homologou o procedimento policial, mas concedeu a liberdade a RICARDO E RODRIGO mediante o pagamento de fiança de 25 salários mínimos para o primeiro e 15 para o segundo. Não se sabe sobre a situação de José Carlos. Mas esse processo e as investigações ainda devem continuar, pois a Polícia quer descobrir os autores do roubo e das falsificações que fizeram esses veículos chegarem até nossa cidade.

A polícia também investiga se Igarapé-Miri está na rota da receptação de veículos roubados ou se este foi um caso isolado. O custo desses bens pode alcançar mais de 500 mil reais e a adulteração e falsificação dos documentos dos veículos foi feita por profissionais.

A ACUSAÇÃO DE VIOLAÇÃO DAS PRERROGATIVAS DO DR. MAX  PINHEIRO E A VERSÃO DO DELEGADO ALEXANDRE CLÓS.

O que mais ganhou destaque neste caso foi o que ocorreu após a detenção dos acusados e remoção dos bens para a delegacia. Mesmo que a polícia esteja de parabéns pela atuação.

Ricardo e Rodrigo são pessoas distintas e bem conhecidas na cidade e sem passagens policiais. O caso assustou parentes e amigos, que correram para Delegacia de Polícia da Terra do Açaí.

Segundo o Delegado Alexandre Clós informou ao GM houve até briga durante essa aglomeração e a unidade policial não suportaria todos no mesmo ambiente. E ele teria fechado a porta para reunir sua equipe para adoção dos procedimentos do flagrante. E quando começou a reunir com os policias que também eram de Tucuruí teria chegado ao local o Dr. Max e que pela recusa de aguardar foi conduzido sua saída até o início dos termos de oitivas dos acusados, com o repúdio dos que estavam no local.

Essa saída foi filmada por muitos que se aglomeravam na porta da delegacia e vários vídeos viralizaram na internet, e com notas de que o advogado foi impedido de entrar na delegacia e se comunicar com seus clientes.

E o fato foi comunicado para a OAB/PA que hoje publicou NOTA DE SOLIDARIEDADE ao Dr. Max Pinheiro:

NOTA SOLIDARIEDADE OAB MAX

CAMINHAO E CATERPILAR APREENDIDOS MIRI

O caso é lamentável. Primeiro pelo roubo ocorrido. Segundo por terem vindo parar nestas terras. Terceiro por pessoas terem alugado ou guardado, mesmo por engano, esses veículos roubados, tendo agora que enfrentar procedimento judicial e certamente que grandes constrangimentos e prejuízos.

Tomara que Igarapé-Miri não seja de fato rota de vendas ou desmanches de veículos objeto de furto ou roubo. E que esse fato possa pelo menos servir de alerta para aqueles que compram ou alugam veículos redobrarem cuidados.

E o caso entre o Dr. Max e o Delegado Alexandre Clós deverá ser avaliado pela OAB e pela Corregedoria de Polícia.

O advogado tem direito de exercer sua profissão com plena liberdade e respeitadas suas prerrogativas. Apesar das versões divergentes, é certo que nem delegado, juiz ou promotor tem hierarquia superior e todos devem se tratar com respeito e urbanidade.

E tomara que esse fato faça a Polícia Civil adotar providências para construir ou separar em TODAS as delegacias do Estado do Pará um local para que o advogado possa manter contato com seus clientes de forma digna, como manda a lei.

Em Igarapé-Miri, como em quase todas as delegacias o advogado não atende seus clientes de forma reservada, muitas vezes em pé e nos corredores. Não se tem como manter sigilo ou garantias dos presos ou prerrogativas dos defensores nessas condições. Muitas vezes nem mesmo os presos são liberados da carceragem para o atendimento jurídico, seja por falta de policias ou agentes penitenciários ou qualquer outra desculpa ou falha do sistema.

A OAB/PA vem cobrando providências dos órgãos do Estado por melhorias nas Delegacias e Fóruns, mas nem sempre as respostas tem rapidez e o custo é pago pelos cidadãos de um jeito ou de outro.

veiculo recuperado

Os veículos recuperados já foram entregues aos proprietários e os outros que foram apreendidos estão à disposição da Justiça.

CONCURSO DE REDAÇÃO DO GM VAI DAR PRÊMIOS EM DINHEIRO E LIVROS

CONCURSO RD GM 01

Já está contando o prazo para o envio de redações ao Gazeta Miriense que promove seu primeiro concurso nessa modalidade.

Se você é aluno do ensino fundamental ou médio de escolas da rede pública ou privada de Igarapé-Miri, pode participar.

E assim ganhar aprendizado e prêmios em dinheiro no total de R$800,00 e livros.

Serão premiados apenas os 10 primeiros colocados, sendo 5 do ensino fundamental e 5 do ensino médio:

1º Lugar – R$150,00; 

2º Lugar – R$100,00,00; 

3º R$75,00; 

4º Lugar R$ 50,00; 

5º Lugar – 25,00. 

Para ver as regras é só clicar no link:

https://gazetamiriense.wordpress.com/2017/05/29/1o-concurso-de-redacao-do-gm-igarape-miri-minha-patria-comeca-aqui/

Você tem até o dia 18 de junho de 2017 para mandar sua redação.

Participe !!!

Support

WordPress.com Support

Lúcio Flávio Pinto

A Agenda Amazônica de um jornalismo de combate