POSTO DE COMBUSTÍVEL CLANDESTINO EXPLODE EM ABAETETUBA. E NO MIRI TEM POSTO CLANDESTINO?

destaque-441014-abaetetuba-posto

Hoje se noticia com tristeza que pelo menos quatro pessoas ficaram feridas com a explosão de uma balsa flutuante que servia como Posto de Combustíveis em Abaetetuba.

E logo veio a informação da Polícia que tal posto era “clandestino”.

E por incrível que pareça, só quando a explodiu é que as autoridades vieram a tomar conhecimento.

O Corpo de Bombeiros não informa vítima fatal, pelo menos até agora, o que é um milagre, diante das fotos que já circulam nos jornais.

Em Igarapé-Miri um certo Pé de Boto utilizou durante anos seus postos clandestinos para fazer dinheiro. Até mesmo a Prefeitura, durante a gestão Dilza e do próprio Pé de Boto compraram combustível dos postos clandestinos das “Organizações Pé de Boto”.

A polícia até que chegou a fazer um flagrante contra o ex-prefeito durante uma diligência na Vila de Maiauatá, quando constatou que a balsa utilizada como Posto Flutuante funcionava sem autorização. Pagou umas cestas básicas após audiência na Justiça e riu da cara do delegado.

E tudo nas barbas da prefeitura, SEMA, da polícia e das demais autoridades. Por sorte até hoje não explodiu nenhuma em Igarapé-Miri.

Mas esse mesmo posto clandestino de Pé de Boto serviu para distribuição gratuita de combustível durante a campanha eleitoral de 2012 e foi quando se deu mal e acabou cassado por compra de votos, abuso de poder e caixa dois de campanha.

Mas que sirva esse alerta vindo de Abaetetuba e que se fiscalizem com rigor os postos de combustíveis que funcionam na Terra do Açaí…

A balsa que explodiu tinha o nome “Milena do Amaral”, que consta como de propriedade de WENDER DE JESUS DOS SANTOS AMARAL. Será que eram da antiga “Organizações Pé de Boto” ?

Em Igarapé-Miri os postos do ex-prefeito continuam em atividade, não se sabe no nome de quem…

Vejam a matéria do Diário do Pará:

posto abaetetuba

Um posto flutuante de combustíveis explodiu no final da manhã desta quinta-feira (10), no município de Abaetetuba, região nordeste do Pará. As chamas começaram por volta das 11h, em uma balsa ancorada no rio Maratuira, onde funcionários trabalhavam no local fazendo serviços de solda, em seguida, houve a explosão. 

A suspeita é que as faíscas, em contato com o material inflamável tenham causado a explosão.

Uma pessoa, identificada como Elton Rosa Monteiro, de 33 anos, caiu no rio Maratauía, que passa em frente à cidade, e está desaparecida.

Segundo o Corpo de Bombeiros, duas ficaram feridas e foram conduzidas para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do município, com fratura no pé e com corte na cabeça. As vítimas foram identificadas como João Carol dos Santos Pantoja, de 37 anos e Edilton Santa Rosa Monteiro, de 31 anos. 

João Carol posteriormente foi encaminhado para o Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), em Ananindoeua, Região Metropolitana de Belém. Em nota, o hospital informou que o paciente deu entrada na unidade às 14h55 dde hoje e seu estado de saúde é considerado estável.

Ainda segundo os Bombeiros, outras duas vítimas apenas foram atingidas pelos estilhaços com ferimentos leves e foram atendidas no local. 

O Corpo de Bombeiros afirmou ainda, que na explosão, destroços da balsa atingiram uma residência gerando incêndio, que rapidamente foi controlado pelos Bombeiros Militares.

Até às 16h27 de hoje, não houve confirmação de vítimas fatais.

Com o impacto da explosão, prédios localizados próximos ao posto tiveram vidros quebrados. Assustadas, as pessoas saíram correndo para a rua. 

“Além do grande barulho, tremeu todo o chão, balançou minha mesa. Ficamos todos desesperados”, relatou Maryelle Pantoja, que trabalha perto do local do incidente

“Balsa era cladestina”, afirma delegada da Superintendência Regional do Baixo Tocantins 

A Defesa Civil e a Secretaria de Meio Ambiente de Abaetetuba estão no local fazendo o levantamento da situação, juntamente com Policiais Militares, que estão isolando a área. Uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel (Samu) esteve no local.  O 15º Grupamento Bombeiro Militar – Abaetetuba também esteve atuando na ocorrência com a equipe de buscas do posto fluvial.

Em contato com o DOL, por telefone, a delegada da Superintendência Regional do Baixo Tocantins, Renata Gurgel, afirmou que a balsa era clandestina.

“Sim, era clandestina e estava fazendo um serviço de solda no local. Estamos ouvindo algumas pessoas. A perícia já foi acionada para determinar o motivo da explosão. Acionamos o IML e estamos aguardando o perito. Acredito que deve iniciar ainda hoje”, explicou.

Em nota, a Marinha do Brasil, por meio do Comando do 4º Distrito Naval, informou que a Capitania dos Portos da Amazônia Oriental (CPAOR) tomou conhecimento, por volta de 13h de hoje, da explosão de uma balsa que estava atracada no posto flutuante “Milena do Amaral”, na cidade de Abaetetuba (PA). Uma equipe de Inspeção Naval da CPAOR foi encaminhada ao local para ajudar nas buscas ao desaparecido e coletar informações para um Inquérito Administrativo que será instaurado visando apurar causas, circunstâncias e responsabilidades do acidente. 

Essa não é a primeira vez que acontecem incidentes com posto de combustível em Abaetetuba. Em maio do ano passado, uma embarcação explodiu após abastecer no posto flutuante no município. 

(DOL com informações de Márcio Costa/RBATV)

 

Anúncios

2 comentários sobre “POSTO DE COMBUSTÍVEL CLANDESTINO EXPLODE EM ABAETETUBA. E NO MIRI TEM POSTO CLANDESTINO?

  1. esse blog está mais pra cometa de Halley só aparece de muito em muito tempo , pô A última postagem foi sobre a morte do Leite e agora essa do posto de Combustíveis pô devia fazer pelo menos uma postagem de 2 em 2 dias pra nós Mirienses que moramos em Belém pra saber o que se passa no nosso Miri

Os comentários estão desativados.