LIXO DO MILHÃO: COSTEIRA VAI AO TCM PARA DEFENDER CPI CONTRA PESADO

O Prefeito Toninho Peso Pesado (PMDB) partiu pra cima da CPI da Câmara na Justiça.

Pediu ao juiz que mande arquivar a Comissão Parlamentar de Inquérito. Como não conseguiu ordem judicial até agora, apelou aos vereadores de sua base na Câmara (Nenca, Valdir Jr. e Irmão Nenca) para faltar nas reuniões e mandar a CPI do Lixo do Milhão para a gaveta.

A estratégia vem dando certo, mas o vereador José Maria Costeira e Ney Pantoja foram intimados pela Justiça para dar explicações na ação judicial promovida por Pesado.

Costeira buscou apoio jurídico para defender seus atos na presidência da CPI. Como a Prefeitura não forneceu documentos sobre a tal contratação e nada foi encontrado no portal da Prefeitura, restou apelar ao Tribunal de Contas dos Municípios, conforme o pedido abaixo protocolado pelo Dr. João Eudes Neri que passa a atuar no caso.

PEDIDO COPIA CONTRATO LIXO DO MILHAO NO TCM

Algumas das alegações de Pesado no Mandado de Segurança contra a CPI do Lixo do Milhão são curiosas, e o prefeito pede urgência para arquivar a CPI:

MS PESADO CONTRA CPI LIXO DO MILHAOMS PESADO CONTRA CPI LIXO DO MILHAO 02

E depois vem com a alegação de que tudo não passou de um engano, pois contrato foi feito em janeiro, publicado em março e cancelado logo a seguir.

E a nenhum pagamento foi feito, muito menos o caminhão do lixo foi autorizado a rodar pela cidade, conforme as declarações do Secretario de Finanças e de Obras:

Mas quando a bronca estourou nas redes sociais e nas rádios da capital alguns vereadores da base do governo defenderam a contratação na tribuna da Câmara. O vereador Nenca, líder de Pesado, chegou a informar a quantidade de funcionários e veículos que a empresa J&B Engenharia teria colocado à disposição nas ruas da cidade.

Se a empresa foi contratada por mais de um milhão, ela iria atuar nas ruas com funcionários sem autorização de ninguém ? E não receber nada pelo trabalho ?

Estranho…muito estranho…

E pior é alegação de Pesado que anulou a licitação pelo “interesse público”, sem dizer o real motivo para desfazer o contrato que já estava perto do fim, para ao final mandar fazer “novo procedimento licitatório”. Se um estava errado, qual o motivo de fazer outro ?

ANULAÇAO LIXO DO MILHAO

Mas pelo menos contrato apareceu nessa ação judicial, provando que realmente pelo menos isso existiu, não foi invenção de vereador e nem de radialista. E era no valor de R$1.092.480,00 (hum milhão, noventa e dois mil, quatrocentos e oitenta reais). Ou seja, muito maior que os R$896.000,00 que seriam para gastos com limpeza pública em todo o ano de 2017. O contrato do lixo era para apenas 4 meses. E a empresa escolhida não tem um caminhão sequer, nunca trabalhou com coleta de lixo, não tinha funcionários e acumula dívidas trabalhistas. Tinha mais era pinta de empresa “fantasma”…

Vejam o contrato do Lixo do Milhão:

O caso do Lixo do Milhão, ao que tudo indica não vai ter andamento na Câmara, pela “disposição” que a maioria dos vereadores já demonstraram.

Talvez o TCM possa esclarecer alguma coisa para que se saiba o que de fato ocorreu, mas as explicações da prefeitura até agora não parecem muito convincentes e algumas suspeitas de irregularidades pairam no “ar”…

Anúncios