A LISTA OFICIAL DE FACHIN AINDA NÃO ACABOU, MAS HÉLDER E PAULO ROCHA ESTÃO NO MESMO INQUÉRITO

STF retoma nesta quinta julgamento sobre rito do impeachment de Dilma - Brasília(DF), 17/12/2015

A aliança entre PMDB e PT em 2014 parece ser o alvo do Inquérito 4449 que tramita no Supremo Tribunal Federal que atingiu HÉLDER BARBALHO E PAULO ROCHA.

O Ministro Fachin autorizou agora a pouco a lista completa de todos os inquéritos. E alguns ainda estão em sigilo, de tal modo que pode aumentar ainda mais.

helder

Segundo a Revista Veja Helder e Paulo Rocha teriam recebido 1,5 milhão da Odebrecht em 3 parcelas para uso na campanha de 2014, quando Paulo Rocha se elegeu senador e Hélder quase chega ao governo do estado do Pará. Vejam a notícia:

O ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, recebeu 1,5 milhão  de reais do Departamento de Operações Estruturadas da Odebrecht em 2014, segundo a delação de executivos da Odebrecht. No pedido de abertura de inquérito feito ao ministro Edson Fachin, relator da Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal, a Procuradoria Geral da República relata que o pagamento a Barbalho se deu em três parcelas. O ministro figura na lista do propinoduto da Odebrecht com o apelido Cavanhaque – os repasses do setor de propinas da empreiteira eram registrados em um sistema próprio, batizado de Drousys. De acordo com a Procuradoria, os repasses a Helder Barbalho foram feitos como “contrapartida a interesses do grupo Odebrecht no Estado do Pará, notadamente na área de saneamento básico, espaço em que a empresa almejava atuar como concessionária”. Os valores, sustenta a Procuradoria com base nas delações dos executivos da Odebrecht, foram solicitados pelo próprio Helder Barbalho e também pelo senador Paulo Rocha, que também é alvo do pedido de investigação. O inquérito, registrado sob o número 4.449, foi autorizado pelo ministro Fachin no último dia 4 de abril.

PAULO ROCHA 4

Quando o Ministro do STF viu que o vazamento se consumou, liberou a lista integral, mas 2 inquéritos ainda estão sob sigilo e outras 25 petições também.

Após a cassação de Jatene pela Justiça Eleitoral e as denúncias contra Hélder e Paulo Rocha é certo que o jogo eleitoral se embaralha ainda mais para 2018 no Pará.

Ainda é muito cedo para se saber as consequências, mas algum estrago já está feito.

O GM divulga a seus leitores o inteiro teor:

lista do fachin

Anúncios