WLAD MUDA O VOTO E CASSA EDUARDO CUNHA

wlad no conselho de etica

O deputado Wladimir Costa (Solidariedade/PA), que até quase o final da sessão de hoje na Câmara dos Deputados vinha lutando contra a cassação de Eduardo Cunha, não mais que de repente mudou de lado, quando viu que a derrota se consolidava com o voto de Tia Eron (PR-BA).

Certamente que em todo esse processo de crises políticas Wlad deve entrar para a história, com boas ou más lembranças, a depender do olhar do público.

Para alguns será considerado um político sem palavra e que muda ao sabor do vento para se dar bem.

Para outros quem sabe ficará a imagem de que ele ajudou a derrubar Dilma soltando fogos no plenário ou mudando o voto para tentar se livrar da pecha de defensor do “malvado favorito”.

Parece que hoje se encerra mais uma etapa de muitos ciclos da triste da história política recente deste país, manchada por tantas denúncias, condenações e reviravoltas.

A mídia por seu lado, cada vez mais disputando sangue dos malvados e tantas vezes promovendo outros algozes do povo.

Wlad também já é conhecido no Pará por ter mudado de partidos e de lados diversas vezes. Já esteve com Jáder Barbalho e tomou espaço nas rádios e TVs do hoje Senador. Mas na hora da eleição pulou pro barco de Jatene.

Aprendeu tanto com Jáder que também montou sua própria rede de comunicação por diversas regiões do Pará. Aumentou seu capital financeiro e político e hoje se dá ao luxo de escolher os parceiros e aliados que quer, sem ligar muito para bandeiras políticas ou ideológicas.

Na mesma semana em que teve holofotes por xingar o Deputado Zé Geraldo (PT/PA) na defesa de Eduardo Cunha, ele volta ao cenário nacional como um dos que entregou a cabeça do aliado.

Os mais desavisados poderão ficar em dúvida sobre o que de fato ocorre nos corredores da Câmara dos Deputados e como os parlamentares se motivam a tomar decisões.

Quem assistiu pelo menos parte dos discursos de hoje deve ter ficado muito confuso e até  iludido com discursos a favor e contra Eduardo Cunha, que hoje já recebeu parte de seu “tchau malvado“.

Agora resta a Eduardo Cunha enfrentar o plenário da Câmara, onde a “onda Wlad” pode arrastar a maioria que ele tinha a pouco tempo atrás. Com toda a imprensa de olho e muita audiência, se prevê a cassação, salvo se o presidente interino Temer quiser arriscar ainda mais o pescoço para salvar o aliado.

Parece que Eduardo Cunha vem fazendo escola e talvez agora ache que Wlad possa ser mais um malvado do que ele mesmo. Vejam a notícia do portal G1 sobre o tema:

O Conselho de Ética aprovou nesta quarta-feira, por 11 a 9, o parecer do deputado Marcos Rogério (DEM-RO) pela cassação do mandato do presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Os dois votos decisivos foram de Tia Eron, que não tinha antecipado a sua posição, e de Wladimir Costa (SD-PA), que havia dado indicações de que votaria contra a cassação.

O processo seguirá agora para o plenário da Câmara. Qualquer punição só poderá ser aprovada em definitivo com o voto de ao menos 257 dos 513 deputados.

Veja os votos:

SIM: 11 votos
Betinho Gomes (PSDB-PE)
Júlio Delgado (PSB-MG)
Leo de Brito (PT-AC)
Marcos Rogério (DEM-RO), relator do processo
Nelson Marchezan Junior (PSDB-RS)
Paulo Azi (DEM-BA)
Sandro Alex (PPS-PR)
Tia Eron (PRB-BA) – não tinha antecipado o voto
Valmir Prascidelli (PT-SP)
Zé Geraldo (PT-BA)
Wladimir Costa (SD-PA) – a expectativa era que ele votasse não

NÃO: 9 votos
Alberto Filho (PMDB-MA)
André Fufuca (PP-MA)
João Bacelar (PR-BA)
Laerte Bessa (PR-DF)
Mauro Lopes (PMDB-MG)
Nelson Meurer (PP-PR)
Sérgio Moraes (PTB-RS)
Washington Reis (PMDB-RJ)
Wellington Roberto (PR-PB)

 

Anúncios