TENTATIVA DE HOMICÍDIO A AGENTES DE TRÂNSITO ACABA EM PRISÃO DE MOTOQUEIRO

Os Agentes de Trânsito de Igarapé-Miri receberam treinamento e muitas aulas que foram pagas pelo Município, após ter sido firmado Convênio com o Detran/PA.

Fizeram campanha de orientação e a partir do mês de março passaram a fiscalizar ruas do município, em especial do centro da cidade.

O principal objetivo é evitar que condutores cometam infrações de trânsito e diminuir com isso o número de acidentes, que vitimam dezenas de pessoas todos os anos, alguns inclusive chegando a morrer por queda de motos pela simples falta do uso de capacete.

No entanto essa missão não tem sido fácil e tem gerado risco de morte dos agentes de trânsito, como ocorreu na semana passada.

Dois agentes de trânsito (JOHN E LIMA) faziam seu trabalho na Tv. Coronel Vitório em frente ao Colégio das Irmãs. Passou pelo local o condutor JHONATAN DE LIMA RODRIGUES, conhecido pelo apelido de PERIQUITO, sem capacete e com um carona ainda não identificado. Ele passou por local indevido e foi alertado pelos agentes de trânsito. No entanto, não obedeceu ordem de parada e seguiu adiante, avisando que se fosse multado os agentes iam “se ver com ele”.

Como viu que os agentes iriam lavrar multa, retornou minutos depois armado de revólver e tentou efetuar disparos nos agentes de trânsito, mas a arma não teria funcionado. Vejam o relato dos agentes de trânsito:

BOLETIM DE OCORRENCIA TENTATIVA DE HOMICIDIO AGENTE DE TRANSITO

A polícia conseguiu prender em flagrante JHONATAN horas depois, mas sem a arma, e comunicou o fato à Justiça, requerendo a prisão preventiva.

A juíza de plantão entendeu que os fatos são graves, homologou o flagrante e converteu a prisão em preventiva. Vejam a decisão:

PREVENTIVA PERIQUITO TENTATIVA DE HOMICIDIO A AGENTES DE TRANSITO

PREVENTIVA PERIQUITO TENTATIVA DE HOMICIDIO A AGENTES DE TRANSITO 03

PREVENTIVA PERIQUITO TENTATIVA DE HOMICIDIO A AGENTES DE TRANSITO 04

Segundo informações, JHONATAN (PERIQUITO) teria negado o fato, mas depois teria admitido ter usado uma arma de “brinquedo“.

Esse mesmo PERIQUITO já responde a processo desde 2013, por crime de trânsito, desta feita por dirigir sem habilitação (Art. 309. Dirigir veículo automotor, em via pública, sem a devida Permissão para Dirigir ou Habilitação ou, ainda, se cassado o direito de dirigir, gerando perigo de dano: Penas – detenção, de seis meses a um ano, ou multa). No entanto, a audiência marcada 2 vezes não foi realizada por falta de juiz na Comarca de Igarapé-Miri. Talvez se ele já tivesse sido punido por esse crime menor, não teria ido cometer outro ainda pior:

CRIME DE TRANSITO PERIQUITO EM 2013

Na última segunda-feira o Prefeito Roberto Pina e a vice-prefeita, a Direção do Demutran, o vereador Lula e os agentes de trânsito envolvidos no caso foram até a Assembléia Legislativa do Estado em uma audiência pública sobre o tema, convocada pelo Deputado Sidney Rosa. O caso da tentativa de homicídio foi relatado na Comissão da ALEPA, que ficou de pedir providências na Secretaria de Segurança Pública do Pará.

AUDIENCIA ALEPA TRANSITO

AUDIENCIA ALEPA TRANSITO 02

AUDIENCIA ALEPA TRANSITO 03

AUDIENCIA ALEPA TRANSITO 04

A Prefeitura/Demutran e Detran ficaram de adotar providências em apoio aos agentes de trânsito junto ao MP e na Justiça, para que os funcionários públicos municipais sejam respeitados no cumprimento de suas obrigações.

A Lei Penal foi alterada em 2015 e transformou em crime HEDIONDO os crimes de morte ou tentativas contra agentes da segurança pública, onde se incluem os agentes de trânsito. Vejam o texto da Lei que aumentou as penas nesses casos:

Art. 121. Matar alguém: Pena – reclusão, de seis a vinte anos.

(…) Homicídio qualificado

  • 2° Se o homicídio é cometido: (…) VII – contra autoridade ou agente descrito nos arts. 142 e 144 da Constituição Federal, integrantes do sistema prisional e da Força Nacional de Segurança Pública, no exercício da função ou em decorrência dela, ou contra seu cônjuge, companheiro ou parente consanguíneo até terceiro grau, em razão dessa condição: Pena -reclusão, de doze a trinta anos.

O trânsito em Igarapé-Miri continua caótico, mesmo depois de muitas audiências públicas, algumas promovidas pelo Ministério Público, que exige que a Prefeitura coloque os agentes na rua e faça cumprir a lei.

O Detran está sumido daqui a alguns meses e muitos dizem que é por conta do ano eleitoral, já o órgão teria influência de Ítalo Mácola, que pretenderia se candidato a prefeito. O Detran tem a obrigação de fiscalizar, mas com receio de perder votos algumas autoridades se escondem na hora de comprimento do dever.

É necessário apoiar ações que possam melhorar essa situação, pois muitos morrem ou são vítimas de acidentes quase toda semana na Terra do Açaí.

Anúncios