CANCELADA AUDIÊNCIA DA FALSO PATUÁ POR FALTA DE JUIZ

A audiência marcada para hoje visando ouvir testemunhas do ação penal contra Pé de Boto e outros, resultado da Operação Falso Patuá foi CANCELADA.

O motivo: falta de juiz.

Esse processo envolvendo crimes de homicídio e grupos de extermínio já rodou pela mesa de diversos juízes e em muitas comarcas (Belém, Igarapé-Miri, Abaetetuba, Barcarena, Tailândia, etc.). O jeito foi o presidente do Tribunal designar um juiz para o caso.

E o processo começou a andar após nomeação de outro juiz em Barcarena, mesmo que o julgamento seja da competência da Comarca de Igarapé-Miri.

No entanto, esse juiz saiu de férias e o substituto se declarou suspeito (por algum motivo pessoal não pode ser juiz do caso) e preferiu não atuar. Vejam o despacho:

SUSPEIÇAO JUIZ DE BARCARENA FALSO PATUÁ

Com isso, as testemunhas que seriam ouvidas hoje, inclusive um delegado e um capitão da PM, terão que comparecer em outra data, ainda não definida. Vejam a certidão:

CERTIDAO ADIAMENTO AUDIENCIA PÉ DE BOTO FALSO PATUA

A falta de juiz Titular em Igarapé-Miri parece que também já começa a ser um problema. O Dr. Eduardo Freire já pediu remoção desde setembro de 2015, mas aguarda uma decisão do TJ.

E durante este mês e no próximo estará de licença. Na sua ausência respondem juízes designados que vem de Abaetetuba, Moju ou Tailândia. Mas em face da acumulação nem sempre comparecem toda semana na Comarca.

Hoje temos promotor titular e a defensoria pública ainda necessita de atendimento diário no município, pois é ela que atende os mais carentes, aqueles que não tem condição de pagar despesas de processo e muitos menos um advogado.

A demora no julgamento de processos aumenta a sensação de impunidade e de insegurança na sociedade.

E o atraso no andamento de processos pode facilitar a soltura dos réus presos na Operação Falso Patuá e até mesmo a revogação da ordem de prisão a Pé de Boto.

Anúncios