ESQUEMA PESADO: EMPRESA COBRA MAIS 115 MIL POR COMPRAS SUPOSTAMENTE FEITAS NA GESTÃO TONINHO

O GM publicou matéria na semana passada envolvendo um suposto ESQUEMA de favorecimento a uma EMPRESA FANTASMA que teria vendido produtos superfaturados, sem licitação e com indícios de fraude, num valor total de mais de 750 mil reais durantes os meses de março a maio de 2015 (Gestão Toninho Pesado).

Os fatos já estariam em apuração na Comarca de Igarapé-Miri e no Ministério Público Estadual.

Mas parece que a polêmica não deve parar por aí.

A empresa RAIMUNDO OLIVEIRA FONSECA NETO-ME ainda quer mais 115 mil reais que alega ter direito por compras feitas por Toninho Pesado e que não teriam sido pagas.

Se você não acredita, veja o pedido da referida empresa na Justiça Miriense (Processo de Execução por Título Extrajudicial 0052385-67.2015.8.14.0022):

EXECUÇAO RAIMUNDO OLIVEIRA X PMIGM 01

EXECUÇAO RAIMUNDO OLIVEIRA X PMIGM 02

EXECUÇAO RAIMUNDO OLIVEIRA X PMIGM 03

EXECUÇAO RAIMUNDO OLIVEIRA X PMIGM 04

EXECUÇAO RAIMUNDO OLIVEIRA X PMIGM 05

A empresa Raimundo Oliveira Fonseca Neto-ME ainda pediu Justiça Gratuita, ou seja, alegou que ganhou 750 mil em 3 meses e está pobre lisa, não tem dinheiro para pagar despesas do processo. O Juiz Eduardo Freire negou o pedido e a empresa recolheu as custas.

Chama a atenção que a empresa alega que forneceu “alimentos” e teria recebido “notas de empenho” da Prefeitura como garantia de pagamento. Ou seja, não comprova que o fornecimento foi feito com licitação, que foi emitida nota fiscal dos produtos e muitos menos quem fez a entrega dos produtos.

A simples emissão de notas de empenhou ou liquidação, a maioria sem assinatura do ex-prefeito, do controle interno, do tesoureiro ou secretário municipal não tem qualquer valor legal. Não serve para absolutamente nada.

É estranho que mesmo assim, a referida empresa queira receber da Prefeitura de Igarapé-Miri mais 115 mil, além dos 750 pagos por Toninho Pesado. É muita cara de pau ….

A fraude nessa suposta compra é gritante !!!

É necessário comunicar esses fatos ao Promotor AMARILDO GUERRA, ao Presidente do TCM Cézar Colares e ao Conselho de Saúde (as notas de empenho seriam da Saúde), que por sinal já julgou irregular a prestação de contas de Toninho Pesado em 2015.

Já se comenta que o dono da tal empresa é primo da esposa de Toninho Pesado. Se isso for verdade a coisa pode ficar ainda pior.

E a Câmara Municipal certamente que vai ficar caladinha…afinal os fatos são da época de seu presidente e futuro candidato a prefeito e não cai bem pedir CPI para apurar fatos do passado…

Com 750 mil seria possível concluir a UPA, terminar a Creche da Boa Esperança e finalizar muitas outras obras…mas o dinheiro sumiu..

Não se pode tolerar que a população Miriense pague o pato por atos fraudulentos e que ainda querem causar mais danos ao já furado cofre municipal.

A Prefeitura ainda não contestou o pedido, mas se espera que deva pedir providências sobre o caso para evitar que mais esse pagamento indevido venha a ocorrer.

O GM pediu as notas de empenho para divulgar aos leitores os supostos preços dos produtos e os indícios de fraude.

Anúncios