BALA PERDIDA FAZ MAIS UMA VÍTIMA NA TERRA DO AÇAÍ

faixa morte do macaco

Ontem a noite se repetiu mais uma cena de grave violência no bairro da África com tiroteio entre rivais.

Dois em uma moto, que seriam de outro bairro, trocavam tiros no local, mas quem recebeu um tiro na barriga com perfuração do intestino foi alguém que não tinha nada a ver com a rivalidade, muito menos com a violência desmedida que atinge nossa cidade e toda a região.

Após o baleamento, Raimundo Paiva da Silva (Macaco, como era mais conhecido), foi socorrido, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu. Um dos envolvidos no tiroteio também foi baleado de raspão na costa e após atendimento médico foi preso pela PM.

 

macaquinho

Macaco era muito conhecido e querido na Terra do Açaí e certamente deixa saudades. Ele ainda jovem foi vítima de outra violência insana. Recebeu uma facada na perna que resultou na amputação da mesma.

Ele era talentoso jogador de futebol, talvez um dos melhores que já se viu em Igarapé-Miri. Mesmo sem a uma das pernas, Macaco nunca perdeu a alegria e de sorriso farto era figura que tinha lugar cativo na esquina da Rui Barbosa com Coronel Vitório, justamente a entrada do bairro da África onde veio a falecer.

Meses atrás, no dia 5 de novembro, uma Caravana foi formada para CLAMAR POR PAZ NA SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA. Foi uma das poucas vezes em que se conseguiu unir as autoridades e a população para buscar soluções no local certo: NO GOVERNO DO ESTADO. E chegou a ser feito um ACORDO, devidamente estampado e comentado no GM. Veja novamente o que foi ajustado entre a Secretaria de Segurança e o Município de Igarapé-Miri:

ACORDO MIRI E SEGUP 01

ACORDO MIRI E SEGUP 02

ACORDO MIRI E SEGUP 03

O que foi cumprido desse “ACORDO” ?

Melhorou ou piorou o policiamento ? O atendimento na delegacia ? As rondas do Tático ou Rotam são permanentes ou esporádicas ou sumiram ?

O que de fato melhorou na Segurança Pública do Município ?

Hoje temos 7 Policiais Militares atuando por dia, sendo que 2 ficam na Vila de Maiautá, 1 fica no quartel e apenas 4 fazem rondas. Na polícia civil, além do delegado, se conta apenas com 1 escrivão e um investigador por dia.

Se o “acordo” não foi cumprido o que resta fazer ? Será que uma greve de fome dos vereadores ou do prefeito pode chamara a atenção das autoridades do estado ?

Ou um ação judicial movida pela Prefeitura com apoio do Ministério Público poderia obrigar o Estado a manter mais policiais e cumprir o seu papel na Segurança Pública ?

Em novembro os mototaxistas perderam Leandro e se mobilizaram. Ontem perdemos o “Macaco” e amanhã outros irão sucumbir. Os que sobram nesta guerra tem que adotar uma estratégia, que não pode passar somente pelo inconformismo e a retórica.

O Município do Moju passa por crise semelhante e durante esta última semana fez manifestações nas ruas da cidade. Não se sabe o que mais esses nossos vizinhos vão fazer para buscar soluções para a violência crescente na região.

Será que nossos prefeitos do Baixo-Tocantins poderiam se unir ? Os vereadores também. Mas com o único objetivo de buscar melhorias para a população na área da segurança e não para se promoverem em ano eleitoral.

Que descanse em paz MACACO e vamos torcer e lutar por dias melhores na Terra do Açaí.

O cordel do nosso imortal Jorginho Coêlho, divulgado no Blog Jornal Sementes, retrata bem esse momento pelo qual passamos:

 O miriense aqui desabafa
Por que não aguenta mais,
Furtos, roubos, assassinatos
O uso de drogas é demais,
“Pra Que Tanta Violência
Se é Melhor Viver em Paz”.

Hoje lembro com saudades
Os bons tempos que aqui vivi,
Onde se caminhava a noite
Pelas ruas de meu miri,
Era um clima de perfeita paz
Tempos bons que nunca mais vi.

As vezes fico refletindo
Sem conseguir entender,
Por que tanta violência
Se é tão bonito viver,
Hoje aqui já virou rotina
De toda semana alguém morrer.

Esse aumento da violência
Que atinge o nosso lugar,
É puxado pelas drogas
Sinto tristeza ao falar,
Destruindo nossos jovens
E famílias a se enlutar.

Em busca do lucro fácil
Dinheiro vem e ligeiro vai,
Pois mais cedo ou mais tarde
Um drogado sempre cai,
Isso porque o jovem esquece
Os sábios conselhos do pai.

Hoje vemos muitos jovens
Cedo, indo pro caixão,
Hoje temos muitos adultos
Residindo na prisão,
Alguns nem podem sair
Estão jurados e sem solução

Hoje vemos pelas ruas
As gangues se enfrentando,
É tanto tiro é tanta arma
É o ódio se multiplicando,
E o resultado de tudo isso
É as vidas que estão ceifando

Assaltos à luz do dia

Lojas sendo arrombadas

Inúmeros roubos de motos

Tem que pagar para ser resgatada

Assassinatos de inocentes

Que morrem sem ter feito nada…

Anúncios

2 comentários sobre “BALA PERDIDA FAZ MAIS UMA VÍTIMA NA TERRA DO AÇAÍ

  1. Enquanto não tivermos representação política respeitada junto ao governo do Estado, estaremos sempre entregue as baratas. Não temos político macho, que bata o pé e corte o cordão umbilical com Abaetetuba, se isso não acontecer, vamos ter em uma cidade com quase 30.000 habitantes um Dep. de Polícia, o contingente que possuímos é uma vergonha para o Estado e para o Sr. Governador que fica quieto, e não tenta mudar nada no setor de segurança do Estado, por ser muito mais cômodo manter Igarapé-Miri ligado a Abaetetuba, pois economiza em dinheiro e pessoal. Um Departamento de Polícia como o que temos aqui, é pra estar na Vila Menino Deus do Anapú, Vila do Icatu ou na Vila Cacau no Panakuera, na Cidade no mínimo deveria ter uma companhia de polícia, mas isso não ocorre, porque Abaetetuba resolve o problema de Igarapé-Miri, pelo menos é o que todos pensam. Estamos sós, sem representantes em todas as esferas e principalmente, na Assembleia Legislativa. Igarapé-Miri nunca possuiu representante seu, teve alguns filhos eleitos, mas não eram Deputaddos de Igarapé-Miri, como foi o Caso do falecido Alcides Corrêa e Antonio Armando e Chico da Pesca, que eram filhos de Igarapé-Miri, mas nunca foram eleitos com o voto miriense, que só conseguiu suplentes, como Miguel Pantoja. Tivemos o seu Alacy Sampaio e Eládio Lobato eleitos com o voto miriense, mas em outra conjuntura política. Apelar pra quem? Para o povo? Depois do que o povo fez, dando a sua parcela de incompetência e burrice ao eleger candidatos sem a mínima condição para dirigir o município, assim acho que fica difícil saber qual será o nosso futuro. Aqui não existe índio, só tem Cacique, cada cidadão é um cabo eleitoral e transforma o município em prostituta política. Até quando vamos esperar por uma Câmara e um Executivo que sejam, verdadeiramente os nossos representantes? Quantos Macacos, Anibal, Raimundões, vamos ter que perder para que os nossos políticos tomem vergonha na cara!?

  2. Você João quaresma que é um conhecedor da palavra de Deus sabe que isso é profético, não tem homem que endireite esse Municipio ou Estado ou Pais, se não a palavra de Deus seria em vão, tem quem amenize, se for homens sérios e do bem, não bandidos que colocamos com mandatos.

Os comentários estão desativados.