MPF MOSTRA RANKING DA TRANSPARÊNCIA NO BRASIL: VEJA OS ÍNDICES DOS MUNICÍPIOS PARAENSES

Entre os dias 08/09/2015 e 09/10/2015, em atuação coordenada em todo o Brasil, o Ministério Público Federal fez a avaliação dos portais da transparência dos 5.568 municípios e 27 estados brasileiros.

O exame levou em conta aspectos legais e boas práticas de transparência e foi feito com base em questionário elaborado pela Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (ENCCLA). Seu objetivo é medir o grau de cumprimento da legislação, por parte de municípios e estados, numa escala que vai de zero a dez.

O resultado desse trabalho está divulgado na internet e o GM repassa os dados do Estado do Pará aos leitores.

Belém é o município com melhor colocação (nota 8,5) no ranking das capitais, alcançando a quinta posição.

Ranking PA PORTAL DAS TRANSPARENCIA 01

O estado do Pará fica com 6,80 e distante da nota 10 atribuída ao Espírito Santo. Mas quando a análise passa para os Municípios, o Pará passa a tem nota ainda menor, com média de 2,70, quando Santa Catarina alcança 6,86.

Ranking PA PORTAL DAS TRANSPARENCIA 02

A realidade dos 144 Municípios Paraenses ainda é muito distante do que se poderia considerar boas práticas da transparência da gestão pública. Veja a lista completa do ranking no Pará:

Ranking PA PORTAL DAS TRANSPARENCIA 03

Na análise do MPF Igarapé-Miri fica na 78 colocação com nota 2,10. Interessante que pelo menos 27 municípios são cotados com nota ZERO. É isso mesmo, se aqui já é ruim obter informações dos gestores, imagine nesses que estão no rabo da fila.

Abaetetuba é a melhor colocada no Baixo-Tocantins (29), com nota 5,10. Moju fica com 4,70 e empata com Itaituba na 40 colocação.

Cametá recebeu nota 3,30 e na lista fica na 52 colocação, ao lado de Ananindeua, Cumaru e Santa Izabel.

Barcarena alcança nota 3,10 e fica na 46 colocação, Baião fica em 59 e com nota 3,0.

Mocajuba tem nota 1,3 e na 100 colocação.

Ranking PA PORTAL DAS TRANSPARENCIA 04

Ranking PA PORTAL DAS TRANSPARENCIA 05

A Prefeitura Miriense aos poucos vai colocando dados em seu portal, mas não disponibiliza relatório mensal dos servidores, dos gastos e arrecadação.

A Câmara Municipal criou um portal, mas que não divulga folhas de pagamentos ou qualquer arrecadação ou despesa.

Ouvidoria para receber críticas e reclamações da população também ainda não foi criada. E é uma exigência da Lei da Transparência, de modo a criar um canal direto com o contribuinte, que poderia fazer denúncias e dar sugestões importantes para melhorar a gestão municipal.

 

Anúncios