CADÊ O NOVO CEMITÉRIO MUNICIPAL ?

O único cemitério público que temos em Igarapé-Miri remonta a séculos e está totalmente lotado de túmulos que não se enxerga mais um local de terra.

O Dia de Finados é um dia de grande movimento no Cemitério Bom Jesus e também de reclamações pelo pouco espaço para se fazer orações pelos entes queridos. Além do barulho, aglomerações e desorganização, parece que também nos falta esperança de ver alguma solução.

Na gestão Dilza Pantoja, no ano de 2006, pelo menos alguma iniciativa foi tomada.

Os resultados é que não foram satisfatórios.

Dilza conseguiu celebrar um Convênio com o governo do Estado via SEPOF para conseguir 200 mil para construção de um novo cemitério municipal. Foi liberado 100 mil, mas como não ocorreu prestação de contas o restante do dinheiro foi bloqueado.

Depois de vários anos, somente em 2013, o Tribunal de Contas do Estado veio a julgar esse processo e pra variar, Dilza foi condenada a devolver o dinheiro, ou seja, os 100 mil recebidos, pois não conseguiu provar onde aplicou os recursos, apesar de ter apresentado um projeto do qual menos de 5% teria sido executado.

Vejam a decisão do TCE:

ACORDAO TCE CEMITERIO IG MIRI

ACORDAO TCE CEMITERIO IG MIR 02I

ACORDAO TCE CEMITERIO IG MIR 03

E vejam o que restou do que seria o novo cemitério:

20151030_160157

20151030_160200

20151030_160235

Até aí mais uma estória sem final feliz. Mas os problemas não findaram aí.

Nessa época o Secretário de Administração de Dilza era o senhor Arimatéria Pureza, hoje diretor do Detran em Abaetetuba.

Ao se buscar o documento do terreno onde funcionaria o novo cemitério, nada foi localizado na Prefeitura. A Secretaria de Administração é responsável pela guarda e registro de documentos das terras do município.

Alguns juram que Prefeitura pagou pelo terreno, tanto que lá foi iniciado e alardeado que seria construído um novo cemitério. A obra parada está por muitos anos e começa a ruir. Se não fosse da prefeitura alguém já teria reclamado.

Foi determinada análise do solo e dizem que por estar próximo de lençóis freáticos (água), não seria adequado para ser usado como cemitério. Esse laudo da SEMA também está como boato, pois também não foi localizado.

Em resumo, temos mais de 100 mil reais que não se sabe o destino e o cemitério cadê ?

Na novela O Bem Amado, na cidade de Sucupira, o cemitério saiu e faltava o morto.

Aqui sobram mortos e falta o cemitério…

Ironia do destino ou não, ainda lamentamos nesta semana mais mortes e não se viu ainda a ROTAM pelas ruas….famílias continuam chorando a perda de entes queridos sem que se chegue aos finalmentes no combate à violência…

odorico

Anúncios