QUEM CONTA UM CONTO, AUMENTA UM PONTO: O BOATO DO BOTO

O provérbio ou ditado popular é certo: quem escuta alguma estória e a leva adiante sempre aumenta um pedaço. Dá uma graduada..

Na maioria das vezes são estórias simples e sem importância, mas quando envolvem fatos graves podem causar estragos e prejuízos de toda sorte.

E foi o que ocorreu na noite da última quarta-feira quando se espalhou nas redes sociais que o ex-prefeito Ailson Amaral teria falecido após um tiroteio de seguranças com policiais.

O relato parecia sério e em boa redação no “zap”, indicando que até o IML de Abaetetuba teria recebido vítimas removidas do Panacuera. Para graduar ainda mais, até uma suposta foto do ex-prefeito passou a ser compartilhada.

A estória foi aumentada e ganhando repercussão que extrapolou as fronteiras Mirienses e foi parar no Estado todo.

O maior grupo de comunicação destas bandas (Grupo ORM – O Liberal) chegou a divulgar em sua conta do twitter o fato:

boato pe de boto no twitter o liberal

Mas era estranho que no site da Polícia Civil e do Ministério Público nenhuma nota sobre o caso aparecia. O delegado de Igarapé-Miri deve ter recebido muitas ligações e certamente que alegou desconhecer o fato, pois foi inventado não se sabe por quem ou com qual interesse.

Uma notícia dessas comove a cidade, embaraça a polícia e a Justiça e principalmente causa transtornos aos familiares e amigos do envolvido.

É fato público que o ex-prefeito enfrenta problemas com a Justiça e até prisão foi decretada contra ele, mas nem por isso se pode brincar com os sentimentos das pessoas, em especial de seus familiares que certamente ficaram preocupados com a notícia e foram constrangidos ainda mais com o falso noticiário.

No dia seguinte o Jornal Diário do Pará, que não morre de amores pelo grupo adversário (ORM), não perdeu a oportunidade de alfinetar:

boato pé de boto no diario

Nas últimas semanas muitos boatos sobre a prisão de Pé de Boto surgiram na Terra do Açaí. Nenhum deles se confirmou.

Até mesmo a apresentação na Polícia não passou de especulação.

O certo é que dois presos da Operação Falso Patuá ainda buscam a liberdade.

Um deles, Ruzol Gonçalves, ingressou com pedido de Habeas Corpus no Tribunal de Justiça, impetrado pelo advogado Antonio Armando Jr e aguarda decisão de seu pedido desde o dia 23 de julho. Vejam o andamento:

HC RUZOL PRISÃO PREVENTIVA FALSO PATUÁ

Se a liberdade for concedida a ele para responder o processo em liberdade poderá ajudar que o mesmo direito seja estendido aos demais envolvidos.

Mas esse processo (Falso Patuá) ainda deve demorar a ser instruído e julgado.

Resta aguardar os desdobramentos e ter mais cautela com os boatos e falsas notícias do caso…

Anúncios