JEFFERSON MÁCOLA: LUTEI PARA IMPLANTAR O CIRETRAN EM IGARAPÉ-MIRI

O facebook do Gazeta Miriense recebeu resposta do ex-Secretário de Saúde de Igarapé-Miri e ex-diretor do Ciretran de Igarapé-Miri, Sr. Jefferson Mácola.

Ele se defende da acusação do Sindicato dos Servidores do Detran de que seria “funcionário fantasma” daquele órgão. Ele teria trabalhando no Detran de Belém para a implantação da Ciretran em Igarapé-Miri.

Diz ainda que trabalhou muito pela saúde do município e deixou a UPA quase pronta e equipada (ou pelo menos com dinheiro em caixa). E que não sabe nada de aluguel ou contratos do Detran.

Ao final acusa o blog de querer ganhar “Ibope”:

Vejam a resposta:

JEFFERSON MACOLA

Às vezes tentamos ajudar nosso município da melhor maneira possível porque é nossa terra, mas infelizmente um pequeno grupo de pessoas não conseguem entender dessa maneira e isso incomoda muito.

Mas vamos lá, no que tange a matéria tenho a esclarecer:

Fui convidado para assumir o cargo de gerente do Ciretran de Ig. Miri e aceitei o desafio, porque tinha certeza que poderia ajudar muito o meu município como sempre fiz. Fiquei um período de 08 meses ( 07 de agosto de 2014 a 25 de março de 2015) prestando serviços na capital e lutando com todas as forças para implantação daquela unidade, devido diversas mudanças de gestão sentir dificuldades e pedir minha saída mas sempre com pensamento positivo que tudo ia da certo.

Não tenho nada com aluguel de imóvel muito menos com contratos do Detran que fique bem claro. Tenho medo que com essas atitude impensável nosso município não consiga implantar a nossa tão esperada agencia.

Sob minha gestão na saúde já falei tudo que tinha que falar, tenho certeza do meu trabalho como gestor e projetos importantes que deixei por exemplo o ” Programa mas Médicos” tendo a maior aprovação de todo o baixo Tocantis o andamento da UPA que deixei com 92% por construida visitada e aprovada pelo ministério da Saúde com visita em loco conseguimos uma importância no valor de R$ 778000,00 para compra de equipamentos, criamos o projeto “Rompendo Barreiras” com a integração de todos os departamento da saúde, levando saúde ao nosso povo ribeirinho e diversas ações. Tudo isso em apenas um ano e meio o que pessoas demoram quatro anos para fazer.

Mas infelizmente parace que alguns meios de cominucação publicam inverdades para obter “Ibope” pós não preciso de premio de consolação . Uma boa noite a todos.

O GM está no aguardo de mais documentos para se manifestar sobre o caso, já que Jefferson Mácola diz que tudo é invenção dos meios de “cominucação” (SIC). Se ele se refere ao Gazeta Miriense, certamente que deveremos também apresentar melhores esclarecimentos sobre a resposta de Jefferson Mácola e propiciar ao leitor melhor análise.

E hoje o SINDTRAN voltou a fazer carga sobre o mesmo tema, conforme matéria do Jornal Diário do Pará e veiculada nos Jornais da RBA:

greve do detran

DOL: SERVIDORES QUEREM CPI URGENTE NO DETRAN

Em prosseguimento as atividades paralisadas há 20 dias, os servidores públicos do Departamento de Transito do Pará (Detran) se reuniram na manhã de ontem, na parte externa do órgão, na avenida Augusto Montenegro, para arrecadar mais assinaturas e fazer um abaixo-assinado, que será encaminhado à Assembleia Legislativa do Pará, com objetivo de instalar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar supostas irregularidades do órgão. 

No último domingo, 14, o movimento arrecadou cerca de 10 mil assinaturas da população, na Praça da República, em Belém. Os principais argumentos para a abertura da Comissão Parlamentar são eventuais irregularidades na folha de pagamento e as suspeitas de fraudes que ocorrem no órgão, e se arrastariam desde o primeiro mandato do governador Simão Jatene. De acordo com Thiago Reis, presidente da Associação dos Fiscais de Trânsito, a corrupção ocorreria principalmente nas agências do órgão nas cidades do interior do Estado.

“A nossa denúncia é das agências fantasmas. O Detran cria a agência, aluga o imóvel, como por exemplo, em Igarapé-Miri, que é a nossa denúncia mais grave, onde nomeou por lá dois gerentes. O Estado paga o aluguel para uma pessoa ligada a alguém do Detran, no valor de 180 mil reais e quando a população vai lá, não resolve nada. Ou seja, lá não é o Detran. Essas pessoas viajam com diária e não trabalham. Lá tem dois gerentes nomeados, que ganham mais de 3 mil por mês, e nada funciona no município. Isso é uma forma de desviar o dinheiro público. E os servidores de fato do Detran, estão cheios disso. Nós queremos acabar com essas fraudes”, afirmou. 

Além dos imóveis que chegam a custar R$180 mil por mês, os servidores com as atividades paralisadas, denunciam os cargos comissionados fantasmas no órgão. “Na CPI nós vamos apresentar um relatório, com fotos mostrando que as casas não funcionam como as agências que eram para ser. Elas são alugadas por pessoas próximas de alguém com influência no governo ou dentro do órgão. Hoje nós temos também muitos servidores fantasmas que não aparecem para trabalhar e apenas recebem o salário do mês”, denunciou.

A greve, organizada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Trânsito- Sindtran teve início no último dia 28 de maio, e abrange tanto a capital, como os interiores do Estado. Entre as reivindicações dos trabalhadores, estão a abertura de concursos públicos, a reposição de auxílio alimentação, o retorno da Gratificação de Tempo Integral (GTI) de 70%, além do reajuste das diárias de viagens a trabalho.

(Diário do Pará)

Anúncios