OPERAÇÃO FILISTEU DESMONTA ESQUEMA MILIONÁRIO EM PARAUAPEBAS

O Município de Parauapebas é um dos mais ricos do Estado do Pará.

FILISTEU 01

É a sede da Vale, uma das empresas mais ricas do mundo e que deposita milhões de reais todos os meses nos cofres do município, que por sua vez repassa milhões também para a Câmara Municipal.

Denúncias de fraudes milionárias por lá existem e faz tempo.

No entanto, neste mandato do Prefeito Valmir da Integral (PSD) as denúncias de fraudes e esquemas aumentaram.

A tal ponto do vereador ODILON divulgar na maior “cara-de-pau” na tribuna da Câmara que vereador que ganha 10 mil tem que ser corrupto para sobreviver. Ele é líder do governo “Integral” e parece que hoje se deu mal e acabou preso pela Polícia em operação do MP.

VEREADOR ODILON PEBAS

A Operação Filisteu foi desencadeada hoje pelo Ministério Público, com ordem do TJ e de Juiz de Parauapebas, incluindo muitos promotores e procuradores.

É uma verdadeira Força Tarefa disposta a estancar o que seria uma das maiores sangrias do dinheiro público neste Estado, envolvendo de uma só tacada o Prefeito e a grande maioria dos vereadores.

FILISTEU 02

Segundo o dicionário informal FILISTEU é Natural ou habitante da Filístia. Pessoa inculta e vulgar com interesses apenas materialistas, não intelectual.Burguês, vulgar.Fulano só pensa em ganhar dinheiro, é um autêntico filisteu.

O prefeito Integral chegou a ser afastado por um grupo de vereadores, mas não se intimidou. Em pouco tempo conseguiu novamente a maioria da Câmara. Agora vai enfrentar uma investigação do MP que já detectou esquema milionário em indenizações de terrenos desapropriados.

E parece ser a ponta do iceberg que pode levar a muitos outras encrencas para Valmir da Integral e boa parte dos vereadores.

valmir da integral

Vejam a matéria do MP:

A operação denominada Filiesteu desmontou esquema criminoso oriundo de fraudes em processos licitatórios e superfaturamento de terrenos desapropriados pela prefeitura; emissão de notas fiscais frias e desvio de recursos públicos entre membros da câmara e o comércio na região.

Foi preso até o momento o vereador Odilon Rocha de Sansão (SDD), conhecido pela afirmação polêmica acerca do valor do salário de vereador. E o empresário do ramo do comércio local, Edmar Cavalcante conhecido como “Boi de Ouro” acusado de emitir e vender notas fiscais frias.

Outro alvo da operação é a casa do ex-presidente da câmara municipal, Josineto Feitosa de Oliveira.

A operação coordenada pelo Grupo de Atuação especial de combate ao crime organizado (Gaeco) do MPPA foi deflagrada na madrugada desta terça (26) contra a prefeitura municipal, secretaria de obras e a câmara no município de Parauapebas, região sudeste do Pará.

Executa a operação pela promotoria de Parauapebas os promotores de Justiça, Hélio Rubens, Paulo Morgado Junior, Fanklin Jones e Eduardo Falessi; pelo Gaeco atuam os promotores de Justiça, Milton Menezes (coordenador), Harrison Bezerra, Arnaldo Célio de Azevedo, Raimundo Aires, Daniel Barros e Augusto Sarmento e pelo Núcleo de combate a corrupção, o procurador de Justiça, Nelson Pereira Medrado.

PRISÕES

Mandados de busca e apreensão e de prisões foram expedidos em Belém pela desembargadora Maria de Nazaré Silva Gouveia, do TJPA, em desfavor da prefeitura municipal cujo titular é o prefeito Valmir Queiroz Mariano (SDD) e, em desfavor da câmara, pelo juiz da comarca de Parauapebas, Libio Araújo Moura.

Reportagem – Edson Gillet (Ministério Público), com informações do Gaeco em Belém / Fotos: Francesco Costa 

 

 

Anúncios