FALSO PATUÁ REVELA ESQUEMA ENTRE PÉ DE BOTO E VEREADORES

A Operação Falso Patuá está para Igarapé-Miri como a Lava-Jato para o Brasil.

É a maior operação policial e do Ministério Público em toda a história Miriense.

Quem sabe algum dia um pesquisador vá escrever com detalhes essa parte lamentável de nossa história Miriense.

Enquanto a Denúncia criminal do MP ainda não tem uma definição e as Investigações sobre crimes envolvendo empresas contratadas de forma irregular ainda não está concluída, aos poucos vão surgindo mais detalhes. Dizem que tem tanta coisa para ser investigada que o MP precisou pedir ajuda ao TCM e a outros órgãos, em especial quanto a empresas envolvidas em fraudes.

Na ALEPA os deputados Edmilson e Bordalo analisaram em CPI os casos de Milícias no Estado do Pará e deram destaque aos fatos ocorridos em Igarapé-Miri e mais uma vez pediram providências contra Pé de Boto.

Já Edmilson Rodrigues se reuniu com Jatene e com o Presidente do TJ, Dr. Constantino Guerreiro, entregando o relatório da dita CPI e pedindo providências.

Decorridos mais de 4 meses desses fatos não se sabe o que vai ser decidido.

Mas circulam partes da denúncia do MP da Operação Falso Patuá. Em uma delas o Procurador Nelson Medrado descreve a existência de um esquema entre Pé de Boto e vereadores de Igarapé-Miri. O fato foi publicado no Blog do Robson Fortes. Destacamos:

Em interceptações telefônicas captadas com ordem judicial, Pé de Boto teria ordenado o FECHAMENTO de rodovia por vereadores, e estratégia de defesa no Jornal O LIBERAL e AMAZÔNIA. 

Abaixo segue a transcrição dos áudios receptados pelo Núcleo de Inteligência Policial:

 Data: 18/09/2014 as 10:02:25 – Telefonema entre: Escobar (filho de Pé de Boto) e Toninho:

 “TONINHO diz que está na Augusto Montenegro, Pablo fala que o vereador não vai poder entrar no Bombeiro para visitar seu pai , passa o telefone ao Pé de Boto, e esse dá a seguinte ordem; para vereador ir junto com o Pablo ao tribunal protocolar seu pedido de liberdade, depois ir na imprensa falar no microfone dizer que o Procurador de Justiça Nelson Medrado agiu de má fé , pois vocês não foram acusar prefeito , mas sim pedir segurança para cidade que está um caos, diz que a população em geral está muito triste e a população colocar isso na página do liberal, dizer que queremos o nosso prefeito de volta. Escobar volta a falar com o vereador e diz que vai com advogado e marcam de se encontrar na Doca .

 Pouco mais de 3 horas depois, a Polícia intercepta outra ligação: 

 Data: 18/09/2014 as 13:34:44 – Telefonema entre: Pé de Boto e Pablo:

 “Pablo diz que está no liberal , o advogado já foi para o tribunal, não sabe se julga hoje, Pé de Boto quer saber se os vereadores já chegaram, Pablo disse que já chegaram oito vereadores o Augusto não veio, apenas dois vereadores vão falar sai no jornal de amanhã, disse que os advogados estão tentando fazer uma ponte antes de dar entrada, Pé de Boto quer que o Pablo pegue um nada consta para mostrar no jornal liberal e diga para o TONINHO falar que o Promotor Nelson Medrado mentiu para o povo do Pará, manda também ir para outras televisões falar que amanhã o pessoal que ir para rua pedir a volta do prefeito, isso dá outra matéria lá no município, Pablo disse que vai fazer essa manifestação com o pessoal.”

A ordem de Pé de Boto era repassada ao Vereador TONINHO. Mas qual deles ? Na Câmara tem dois: Toninho Peso Pesado e Toninho do Murutinga. Mas os outros obedeciam, tanto que foram aos jornais  e exibiram fotos no dia seguinte ao grampo sob comando do “chefe”:

GRUPO NEGA AMEACAS EM O LIBERALgrupo nega ameaça

Eram 10 vereadores da base de apoio, mas 3 deles teriam faltado, sem que fosse explicado o motivo.

Que relação existiria a mais entre esses vereadores e Pé de Boto para obedecerem suas ordens ? Quando esses grampos vão ser divulgados para que a sociedade tome conhecimento do que de fato ocorreu na investigação da Falso Patuá ? Além do Prefeito, quem mais foi grampeado e o que falou ?

Essas respostas ainda dependem do MP e da Justiça, mas é certo que muita coisa ainda ainda pode ser desvendada e pode comprometer ou complicar a grande maioria dos vereadores do Município, ainda mais que em 2016 quase todos eles vão buscar a reeleição.

Vejam o inteiro teor da matéria com o título TONINHO É CITADO NA OPERAÇÃO FALSO PATUÁ (Blog Robson Fortes):

O Blog teve acesso aos autos da denúncia criminal em desfavor do ex-prefeito Pé de Boto, e de mais  11 envolvidos, impetrada pelo Ministério Público Estadual, 7ª Procuradoria de Justiça, através do Núcleo de Combate à improbidade administrativa e Corrupção, resultado da “operação falso patuá”, que acusa a criação de um grupo de extermínio em Igarapé-Miri, chefiada por Pé de Boto. O processo em resumo, pede ao Tribunal de Justiça do Estado do Pará pedido de prisão preventiva contra os 12 (doze) envolvidos, atestando diversos itens comprobatórios colhidos através de uma ampla investigação, incluindo inclusive a quebra de sigilo telefônico de alguns denunciados.

Em um dos trechos colhidos pela investigação policial, o Ministério Público fundamenta a denúncia requerendo a prisão preventiva dos denunciados, pela prática de “MANIFESTAÇÕES FALSAS E DO ATENTADO A ORDEM PÚBLICA” como agravante. A tese levantada pelo Procurador de Justiça diz respeito a “Manifestação Solta Pé” ocorrida em Igarapé-Miri dias depois da prisão temporária do ex-prefeito Pé de Boto e de mais 11 envolvidos. 

Naquela ocasião, um grupo de manifestantes interditou a PA-151, em protesto intitulado “Manifestação Solta o Pé”, como foi noticiado pelo Blog Gazeta Miriense:

“Ontem (19/set/2014) o dia foi de manifestação em Igarapé-Miri de vários apoiadores do Prefeito Pé de Boto, que levou ao fechamento de trecho da Rodovia (próximo à ponte da Maromba) e causou grande engarrafamento.

Na quinta-feira carros de som divulgavam convite para a população participar do movimento, com os seguintes argumentos:

Estamos convidando o povo miriense para uma grande manifestação pacífica que tem como objetivo o apoio ao prefeito Pé de Boto, que está sofrendo perseguição politica por estar cuidando da segurança do  nosso município, estaremos fazendo esta manifestação na ponte da maromba pois todos nós sabemos da importância do Prefeito Pé de Boto em nossa cidade, é amanhã, amanhã a partir das 7:00 da manhã na ponte da Maromba grande manifestação do povo miriense.”

Segundo os autos do processo, “(…) a manifestação foi organizada pelo próprio Prefeito AILSON SANTA MARIA DO AMARAL, exatamente para ludibriar a Justiça, tentando fazer parecer que a população está ao seu lado e contra as prisões, numa tentativa de favorecer a sua liberdade.”

O que fundamenta a tese do Procurador de Justiça, é a gravação interceptada através de autorização judicial, na qual “os investigados pressionam os Vereadores de Igarapé-Miri para levar aos órgãos de imprensa informações que desabonassem  a investigação e os próprios investigadores, numa tentativa vil de pressionar o Desembargador a revogar as prisões temporárias deferidas”. 

Um dia antes das manifestações “Solta Pé” em 18/09/2014, um grupo de Vereadores procurou a imprensa paraense através dos Jornais Liberal e Amazônia para defender o ex-prefeito Aílson Amaral, o Pé de Boto, que já se encontrava preso na capital do estado.

Entretanto, segundo o entendimento do Ministério Público, a ato foi armado pelo próprio prefeito, sob a contribuição de Vereadores da Câmara Municipal. Chama à atenção o envolvimento do então vereador TONINHO na articulação, que segundo a denúncia, “capitaneou a reunião forçada de vereadores e populares, por pessoas ligadas aos presos e, possivelmente também integrantes da organização”.

Ou seja, para o Ministério Público Estadual, a reunião de vários vereadores em Belém nos órgãos de imprensa para defendê-lo foi articulada sumariamente por ele próprio, sendo o porta voz desse grupo o então vereador TONINHO. Segundo trechos das transcrições receptadas pela inteligência policial um dia antes das manifestações “solta Pé”,  TONINHO é incumbido de defender publicamente Pé de Boto, e de articular a as manifestações junto com os demais vereadores. 

Abaixo segue a transcrição dos áudios receptados pelo Núcleo de Inteligência Policial:

Data: 18/09/2014 as 10:02:25

Telefonema entre: Escobar (filho de Pé de Boto) e Toninho:

“TONINHO diz que está na Augusto Montenegro, Pablo fala que o vereador não vai poder entrar no Bombeiro para visitar seu pai , passa o telefone ao Pé de Boto, e esse dá a seguinte ordem; para vereador ir junto com o Pablo ao tribunal protocolar seu pedido de liberdade, depois ir na imprensa falar no microfone dizer que o Procurador de Justiça Nelson Medrado agiu de má fé , pois vocês não foram acusar prefeito , mas sim pedir segurança para cidade que está um caos, diz que a população em geral está muito triste e a população colocar isso na página do liberal, dizer que queremos o nosso prefeito de volta. Escobar volta a falar com o vereador e diz que vai com advogado e marcam de se encontrar na Doca .

Pouco mais de 3 horas depois, a Polícia intercepta outra ligação: 

Data: 18/09/2014 as 13:34:44

Telefonema entre: Pé de Boto e Pablo:

“Pablo diz que está no liberal , o advogado já foi para o tribunal, não sabe se julga hoje, Pé de Boto quer saber se os vereadores já chegaram, Pablo disse que já chegaram oito vereadores o Augusto não veio, apenas dois vereadores vão falar sai no jornal de amanhã, disse que os advogados estão tentando fazer uma ponte antes de dar entrada, Pé de Boto quer que o Pablo pegue um nada consta para mostrar no jornal liberal e diga para o TONINHO falar que o Promotor Nelson Medrado mentiu para o povo do Pará, manda também ir para outras televisões falar que amanhã o pessoal que ir para rua pedir a volta do prefeito, isso dá outra matéria lá no município, Pablo disse que vai fazer essa manifestação com o pessoal.”

Segundo o Ministério Publico Estadual “fica comprovada nos autos a má fé e os artifícios criminosos para alterar a verdade dos fatos, atentando contra a administração da Justiça, já que os acusados desafiam a ordem judicial de custodiamento, (a prisão), utilizando da pressão e da intimidação para tentar desacreditar o poder do Estado de investigar os ilícitos criminais e as organizações criminosas.”

Entre os acusados no processo, não consta o envolvimento de TONINHO no grupo de extermínio, mas fica clara sua participação no grupo que defendeu Pé de Boto junto a imprensa. Até o momento o processo ainda não foi Julgado.

FALSO PATUA RELACAO BOTO E VEREADORESFALSO PATUA RELACAO BOTO E VEREADORES 02

Anúncios