A BALSA DE 35 MILHÕES DE REAIS

balsa do moju

A matéria abaixo é do Blog do Parsifal Pontes e mostra que os prejuízos em dois anos da queda da ponte do Rio Moju podem alcançar 35 milhões nos anos de 2014 e 2015.

É muito dinheiro jogado fora e pode mais que dobrar com a recuperação da Ponte, estimada em 37,8 milhões.

Não custa indagar realmente: Quem está pagando essa conta ?

Será que a empresa que causou esses prejuízos está ressarcindo ou um dia vai pagar esses prejuízos.

Com 72,8 milhões de reais seria possível o governo do Estado asfaltar muitas rodovias e áreas urbanas no Baixo Tocantins.

E os transtornos causados aos moradores do Moju, aos que fazem fretes, aos que precisam chegar ao Sul do Pará e tantos outros ?

Mas pelo jeito o dinheiro dos nossos impostos ainda vai demorar a chegar ao destino mais correto.

Caberia ao Ministério Público Estadual também entrar nesse debate e quem sabe ajuizar uma ação visando amenizar esse dano coletivo.

Vejam a matéria:

Reporta o “Diário do Pará” que o valor já despendido pelo governo do Pará com o aluguel das balsas que fazem a travessia do Rio Moju, foi de R$ 15 milhões, em 2014.

Os contratos, feitos com dispensa de licitação, assinados com a Henvil Transportes Ltda., Navegação Confiança Ltda. e Arapari Navegação, já foram prorrogados para todo o ano de 2015, pelo que receberão mais R$ 20 milhões.

Até o final de 2015, o governo do Pará terá despendido com o serviço, R$ 35 milhões e, segundo a reportagem, o valor da recuperação total da ponte é de R$ 37,8 milhões.

Não entrarei na seara de que e o valor pago aos “balseiros” está alto e corresponde a quase exatamente o custo da recuperação da ponte. O que, novamente, questiono é o que o governo Pará está fazendo para reaver da empresa que tirou a ponte do ramo, os R$ 72,8 milhões de prejuízo. Ou a viúva não será ressarcida da tunga?

Anúncios