PÉ DE BOTO: “O PERSEGUIDO E A ARMAÇÃO”

MEDRADO E PÉ DE BOTO

Foi só anunciar a realização de nova eleição que o cenário político passou a ganhar fatos novos e inusitados.

E Pé de Boto não ficou de fora.

Apareceu em alto estilo com entrevista em programa de Rádio e de TV.

Em uma e outra o discurso parece ser o mesmo e até ensaiado.

Ele alega que foi “perseguido” por adversários políticos e que não praticou nenhum ilícito. Tudo não passaria de uma “armação”.

Parece que o ex-prefeito cassado perdeu uma boa oportunidade de ficar calado.

Na entrevista que concedeu na última sexta ao Radialista Nonato Pereira (FM 100,9) ele foi questionado pelo entrevistador a indicar nomes de quem estaria lhe perseguindo.

Pé de Boto elegeu alguns supostos “perseguidores”:

1) Edmilson Rodrigues – o atual deputado federal pelo PSOL teria citado Pé de Boto como um “traficante” em um debate eleitoral do segundo turno das eleições para prefeito de Belém. Seria então o início da perseguição, que depois teria continuado com a amizade de Edmilson com o ex-prefeito Roberto Pina.

2) Pina – O ex-prefeito teria ingressado com ações eleitorais, que seriam mero inconformismo com a derrota.

3) Edir Correa – o ex-vice seria um adversário político que teria se vingado de Pé de Boto após as eleições e racha político.

4) DrJoão Eudes – o advogado o teria “perseguido”, assim como teria cassado o ex-prefeito de Belém Duciomar Costa. Como advogado de Roberto Pina teria lutado pela cassação e depois teria conseguido um “emprego” na prefeitura.

Na reportagem exibida na TV Record no dia de hoje ele repete parte desse discurso. Só não indica como teria sido feita a tal “armação” ou que provas seriam sido “fabricadas” contra ele.

No horário do jornal da noite de hoje, na mesma TV Record, o Procurador de Justiça Nelson Medrado se manifestou sobre as acusações de Pé de Boto e voltou a pedir a prisão do mesmo. E de forma contundente reafirmou os termos da denúncia que já protocolou conta o ex-prefeito cassado, de que seria líder de um grupo de extermínio e teria cometido várias fraudes na Prefeitura de Igarapé-Miri com desfalques no dinheiro público. Chamou Pé de Boto de BANDIDO PERIGOSO.

O deputado federal Edmilson Rodrigues participou de vários eventos envolvendo a violência em Igarapé-Miri, inclusive de audiência pública no ano de 2014 em que diversas autoridades do estado estiveram presentes. O que não faltou nesse evento foram denúncias contra Pé de Boto.

Depois atuou na CPI dos Grupos de Extermínio e tem buscado junto ao governador do Estado e no Tribunal de Justiça que se adotem providências para inibir a violência no Estado do Pará.

Roberto Pina foi o autor de algumas das ações eleitorais, outras foram promovidas por Coligações Proporcionais do pleito de 2012 e pela Coligação com a Força do Povo de Novo.

Pina tem se mantido em silêncio diante dessas críticas e de diversas acusações e provocações nas redes sociais. A maioria delas patrocinada pelo advogado Amadeu Correa Pinheiro Filho, que defende Pé de Boto.

Edir Corrêa fez diversas representações contra Pé de Boto, para que fosse apurada a ausência de prestação de contas e diversas denúncias da população que foram levadas à Câmara Municipal, como a precariedade da Saúde, da educação e notícias de desvios administrativos.

Pina e Edir ainda não se manifestaram sobre a acusação de Pé de Boto de que eles é que seriam os “perseguidores”.

O advogado João Eudes tomou conhecimento da entrevista de Pé de Boto na rádio e na TV e já está adotando providências.

A primeira seria perante a Ordem dos Advogados do Brasil no Pará, pois entende que Pé de Boto está violando suas prerrogativas profissionais com a acusação de que teria participado de “armação” judicial contra o prefeito cassado estando no exercício de sua profissão.

E deve ingressar também com Interpelação Judicial, para que Pé de Boto explique em juízo quais provas tem contra o advogado que impliquem em crime de “fabricação de provas” ou qualquer outro delito. E caso Pé de Boto não se retrate (peça desculpas publicamente) pela citação do nome do advogado, este acionará outras mediadas judiciais.

O Dr. João Eudes também estranha a afirmação de que depois da saída de prefeito cassado teria conseguido um “emprego” na prefeitura. Ele afirma que em agosto de 2014 foi convidado pelo advogado Amadeu Filho para integrar a equipe de governo de Pé de Boto, pois haveria necessidade de limpar o nome do município do CAUC e a indicação do grupo político naquela época era pelo advogado João Eudes. O convite foi recusado de pronto, não pela falta de vontade de ajudar o município, mas pelo fato de que advogando para a cassação do prefeito não haveria possibilidade de boa relação com um governo que já vinha dando sinais de descalabro.

E agora parece que se esqueceram de que foi o Dr. João Eudes que conseguiu, depois de muitos anos, limpar o nome do município e abrir as portas do governo federal para o recebimento de recursos voluntários que possibilitaram tantos convênios e emendas parlamentares (creches, escolas, orla, quadras poliesportivas, etc.)

É estranho que Pé de Boto venha reclamar de perseguição por parte de advogado. Ou queira criticar a cassação de Duciomar Costa. Pelo que se sabe não havia aliança entre ambos e sequer eram do mesmo partido.

Pé de Boto teve direito a defesa por advogado em todos os processos eleitorais. E contratou os advogados mais caros e mais renomados para lhe defender, como Sábato Rosseti e Dr. Márcio Silva que agora atua no TSE.

Nenhum desses advogados questionou as provas existentes nos processos. Ao contrário, quem ficou com a suspeita de produzir provas “falsas” foi justamente Pé de Boto (nota fiscal do Posto Conceição) durante o julgamento do processo 302-95 (decisão já publicada no GM que apurou abuso de poder econômico com distribuição de combustível em posto clandestino).

Sábato Rosseti foi também o advogado de Duciomar Costa e de Antonio Armando, mas renunciou ao patrocínio de Pé de Boto depois da primeira condenação. Outros advogados assumiram a causa no TRE/PA.

E no TSE a defesa de Pé de Boto é patrocinada por uma das maiores bancas advocatícias país. O Dr. Márcio Silva já foi cotado até para ser Ministro do Supremo Tribunal Federal, já defendeu a presidente Dilma, o PT e outros partidos, bem como o Senador Paulo Rocha.

Certamente que não é por falta de defesa ou de bom patrocínio que Pé de Boto foi cassado.

E quanto aos problemas criminais o tema parece que se renova, sendo que o Dr. Nelson Medrado não desiste de pedir a prisão daqueles que acusa de crimes de homídio e tantos outros na Terra do Açaí.

Vamos esperar para ver se aparição de Pé de Boto é para buscar sua defesa ou se visa somente ganhar espaço na disputa eleitoral, já que diz que não quer mais ser prefeito, mas de outro lado afirma que está lutando em Brasília para voltar ao cargo.

Tomara que não seja armação…

Anúncios