PESQUISA IBOPE: MARINA CRESCE MENOS OU SENTE EFEITOS DA DISPUTA ?

DILMA MARINA E AECIO NA BICICLETA

Saiu agora a ultima pesquisa do IBOPE e já se pode começar a divagar sobre as hipóteses dos números, até que venha a pesquisa Datafolha e outras que poderão confirmar esse resultado.

Depois do enorme e avassalador crescimento de Marina todos os olhares passaram a ela, assim como as críticas mais detalhadas sobre tudo o que ela já fez ou fará. Tal fato é natural de quem desponta como liderança em qualquer campanha.

Ao ser criticada e atacada poderá revelar suas forças e suas fraquezas. O resultado, somente na cabeça do eleitor é que se poderá medir e isso nem sempre é fácil ler com os números.

O certo é que Aécio e sua turma sentiram o baque primeiro. Alguns chegaram a falar em renúncia para que ele pudesse substituir o candidato a governo em Minas e com isso tentar salvar pelo menos esse importante reduto do PSDB.

Mas parece que ele não topou a ideia e se mantém na disputa, mesmo com baixas e desânimo.

Mas será que o PSDB passará a apoiar Marina logo ou em um segundo turno somente para derrotar o PT ?

E depois que Marina assumir, será que terão espaço no governo e aliança fechada para ser uma nova terceira ou quarta via de poder ?

Hoje o PSDB ainda seria o partido mais viável a subir a rampa do Planalto. Com Marina Presidenta o que sobrará para eles ?

São questionamentos que surgem nos quadros partidários e na xadrez político que se formou com a morte de Eduardo Campos.

Já no PSB também existem ainda muitas dúvidas. A chance de ganhar as eleições, depois da perda de seu maior líder, parece ainda inebriar muitos e reduzir as diferenças com a REDE e seus líderes. Para a maioria a depois da eleição será possível conversar sobre a forma de governo.

E Marina cresceu nas pesquisas, em especial nos grandes centros urbanos, sendo hoje a mais forte candidata segundo as pesquisas.

As críticas contra ela passaram também a ser mais fortes. Os questionamentos sobre propostas, forma de governo, cobranças de posicionamentos em temas polêmicos (aborto, gays, transgênicos, etc.) também se tornaram mais contundentes.

O PT ainda não assimilou os fatos e tal qual o PSDB talvez tenha dormido no ponto nas avaliações sobre o crescimento da candidata Marina.

Faltam pouco mais de 30 dias para as eleições e quem esperava hoje ver Marina já disparada na frente de Dilma teve outra surpresa.

Dilma se mantém 4 pontos a frente de Marina (37 a 33) e Aécio fica com 15. Em caso de segundo turno Marina vence Dilma com certa folga (46 a 39)

Será então que Marina diminui o ritmo de crescimento ou chegou ao limite ?

Será que as críticas afetaram sua candidatura e levaram o eleitor a ficar mais temoroso com uma mudança de governo ?

Esses números podem dar novo fôlego para as estratégias de campanha dos adversários de Marina.

E é certo que Aécio, se mantiver os 15 % poderá ser o fiel da balança no segundo turno.

Agora vamos esperar maior acirramento da campanha, que certamente vai “pegar fogo” na TV e nos debates.

Vejam o que foi divulgado no portal G1:

Dilma tem 37%, Marina, 33%, e Aécio, 15%, aponta pesquisa Ibope

Em simulação de segundo turno, Marina tem 46% e Dilma, 39%.
Instituto ouviu 2.506 eleitores entre 31 de agosto e 2 de setembro.

Do G1, em São Paulo

Pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira (3) aponta Dilma Rousseff (PT) com 37% das intenções de voto e Marina Silva (PSB) com 33% na corrida para a Presidência da República. O candidato Aécio Neves (PSDB) tem 15% e Pastor Everaldo (PSC), 1%. Os outros sete candidatos somados acumulam 2%.

O levantamento indica que, em um eventual segundo turno entre Dilma Rousseff e Marina Silva, a ex-senadora aparece com 46% e a atual presidente, que tenta a reeleição, com 39%.

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal “O Estado de S. Paulo”.

No levantamento anterior do instituto, divulgado no dia 26 de agosto, Dilma tinha 34%, Marina, 29%, e Aécio, 19%. Entre uma pesquisa e outra, a taxa de indecisos passou de 8% para 5%, e a de quem pretende votar em branco ou nulo se manteve em 7%.

Confira abaixo os números na modalidade estimulada da pesquisa (em que o pesquisador apresenta ao entrevistado um cartão com os nomes de todos os candidatos):
Dilma Rousseff (PT): 37%
Marina Silva (PSB): 33%
Aécio Neves (PSDB): 15%
Pastor Everaldo (PSC): 1%
José Maria (PSTU): 0%*
Luciana Genro (PSOL): 0%*
Eduardo Jorge (PV): 0%*
Rui Costa Pimenta (PCO): 0%*
Eymael (PSDC): 0%*
Levy Fidelix (PRTB): 0%*
Mauro Iasi (PCB): 0%*
– Branco/nulo: 7%
– Não sabe/não respondeu: 5%

* Cada um dos sete indicados com 0% não atingiu 1% das intenções de voto; somados, eles têm 2%

O Ibope ouviu 2.506 eleitores em 175 municípios entre 31 de agosto e 2 de setembro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%, o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de dois pontos para mais ou para menos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-00514/2014.

 Espontânea

Na modalidade espontânea da pesquisa (em que o pesquisador somente pergunta ao eleitor em quem ele pretende votar, sem apresentar a relação de candidatos), o resultado foi o seguinte:

– Dilma Rousseff (PT): 31%
– Marina Silva (PSB): 25%
– Aécio Neves (PSDB): 11%
– Outros: 1%
– Branco/nulo: 9%
– Não sabe/não respondeu: 23%

Segundo turno
O Ibope simulou os seguintes cenários de segundo turno:

– Marina Silva: 46%
– Dilma Rousseff: 39%
– Branco/nulo: 8%
– Não sabe/não respondeu: 6%

– Dilma Rousseff: 47%
– Aécio Neves: 34%
– Branco/nulo: 11%
– Não sabe/não respondeu: 8%

O Ibope não simulou segundo turno entre Marina Silva e Aécio Neves.

Rejeição
Dentre os 11 candidatos a presidente, Dilma Rousseff tem a maior taxa de rejeição (percentual dos que disseram que não votam em um candidato de jeito nenhum). Nesse quesito, o entrevistado pode indicar mais de um candidato. Veja os números:

– Dilma Roussef: 31%
– Aécio Neves: 18%
– Pastor Everaldo: 18%
– Levy Fidelix: 12%
– Marina Silva: 12%
– Eymael: 11%
– Zé Maria: 11%
– Luciana Genro: 10%
– Mauro Iasi: 10%
– Rui Costa: 9%
– Eduardo Jorge: 7%

Avaliação do governo
A pesquisa mostra que a administração da presidente Dilma tem a aprovação de 36% dos eleitores – no levantamento anterior, divulgado no dia 26 de agosto, o índice era de 34%. O percentual de aprovação reúne os entrevistados que avaliaram o governo como “bom” ou “ótimo”.

Anúncios